MERCADO: Altas temperaturas prejudicam pecuária e lavouras dos EUA

As altas temperaturas recentes são particularmente difíceis para os Estados que enfrentam condições de seca

MERCADO: Altas temperaturas prejudicam pecuária e lavouras dos EUA

Foto: Divulgação

O calor intenso e as condições secas estão estressando as lavouras dos Estados Unidos, ameaçando milho, soja e outras culturas, assim como os rebanhos de gado. As temperaturas escaldantes da semana passada colocaram áreas dos EUA, especialmente no Sul e Oeste, sob alertas de calor excessivo.
 
O clima quente coincidiu com um período importante da temporada de cultivo no Meio-Oeste, disseram analistas. O calor também está agravando as condições de seca em partes do Kansas, Oklahoma, Texas e outros Estados, levando pecuaristas a gastar mais em ração suplementar para o gado.
 
As altas temperaturas recentes são particularmente difíceis para os Estados que enfrentam condições de seca, como Oklahoma. Os pecuaristas da região já estavam pagando mais por ração, fertilizantes, combustível e outras despesas, e estão vendendo seus bezerros para confinamento em um ritmo mais rápido, segundo dados do Departamento de Agricultura (USDA).
 
Os preços que os pecuaristas recebem por seu gado subiram cerca de 15% em relação ao ano passado, de acordo com o USDA, mas mesmo assim é difícil cobrir os custos de produção.
 
O valor do feno, amplamente usado para alimentar o gado, foi 56% mais alto em abril do que em 2021, de acordo com um relatório de junho do Federal Reserve de Kansas City. Estima-se que os produtores de gado tenham perdido dinheiro nos últimos dois meses, de acordo com uma análise de custo e retorno da Universidade Estadual de Iowa.
 
As altas temperaturas também representam riscos para a saúde dos animais. Milhares de bovinos no Kansas morreram em junho como resultado do calor excessivo. Na avicultura, os apagões por causa das altas temperaturas nos Estados do Sudeste têm sido uma preocupação para os produtores, que precisam ventilar e resfriar constantemente seus galpões.
 
Muitas fazendas do Meio-Oeste começaram a plantar milho tardiamente por causa de uma primavera úmida. Em algumas áreas, agora está muito seco. Quase 30% da produção de milho dos EUA e 26% da produção de soja estão em áreas com seca, de acordo com o Monitor de Seca dos EUA.
 
O milho agora está em fase de polinização em muitas partes do Meio-Oeste, uma época em que as plantas precisam de mais água. Secas graves e estresse térmico durante a polinização podem se traduzir em perdas de rendimento de cerca de 9% ao dia, disse Dan Quinn, agrônomo da Purdue University e especialista em milho que trabalha com agricultores regionais.
 
No entanto, alguns analistas e traders disseram que as lavouras continuam em boa condição Grandes Estados agrícolas, incluindo Illinois, Indiana e partes de Iowa, receberam chuvas recentemente, e o relatório de acompanhamento de safra do USDA em 18 de julho mostrou condições estáveis do milho.
 
Os preços futuros do milho na Bolsa de Chicago (CBOT) caíram quase 7% na semana passada. A previsão de chuvas para partes do Meio-Oeste nesta semana deve aliviar algumas preocupações com a safra, disseram analistas. Fonte: Dow Jones Newswires.
 
 
Direito ao esquecimento

Quem você acha que será campeão do Brasileirão 2022?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS