BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

RONDÔNIA: Produtores rurais são incentivados e cafeicultura é fortalecida

A cafeicultura no Estado tem grande importância socioeconômica, gerando emprego e renda para mais de 22 mil famílias rondonienses

GOVERNO DE RO

14 de Outubro de 2020 às 14:00

Atualizada em : 14 de Outubro de 2020 às 14:01

Foto: Divulgação

 

GOVERNO DE RO - A parceria entre as esferas federal, estadual e municipal tem incentivado os produtores rurais a investirem nas lavouras de Rondônia. A adoção de tecnologias nas lavouras vem apresentando um novo cenário com resultados que focam, muito mais do que a quantidade, a qualidade do café produzido no Estado. Na tarde de terça-feira (13), foi realizada em Cacoal a inauguração do Laboratório de Análise Sensorial de Café no Instituto Federal de Rondônia (Ifro) e entrega oficial dos equipamentos. Na oportunidade, teve início também o Curso de Formação de Classificadores de Café.

 
Nós vemos a cada dia, a cada passo que o cafeicultor de Rondônia dá, que só através da parceria, da união entre as instituições envolvidas na agricultura do nosso Estado, é que a gente consegue crescer. Tanto o laboratório inaugurado, quanto o curso que se inicia tem essa bandeira, que é a união de esforços em prol do produtor rural”, ressaltou o gerente de defesa vegetal da Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril (Idaron), Jesse de Oliveira Júnior.
 
Rondônia é o quinto maior produtor de café do Brasil, sendo o segundo maior produtor de café robusta. A cafeicultura no Estado tem grande importância socioeconômica, gerando emprego e renda para mais de 22 mil famílias rondonienses.
 
Cacoal deve se tornar referência na análise e classificação do café com a implantação do Centro de Excelência do Café
 
O mercado é exigente. Aprendemos a cultivar e a classificar esse ouro nosso e agora temos essa parceria entre Governo Estadual, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e o Ifro, com a implantação dos laboratórios que vão permitir que a cafeicultura avance ainda mais e de forma constante. Estes laboratórios são de extrema importância, afinal, para a exportação há uma necessidade muito grande da classificação do café. Para o produtor colher o café com qualidade é preciso profissionalizar ainda mais e é nisto que estamos focando”, comemora Juan Travain, presidente da Associação dos Cafeicultores da Região das Matas de Rondônia (Caferon).
 
Laboratório de Análise Física do Café já foi utilizado para a análise das amostras dos participantes do Concafé
 
A primeira parceria entre o Governo de Rondônia e o Campus do Ifro em Cacoal para o fortalecimento da cafeicultura, foi firmada através da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) e da Idaron. Na oportunidade, foi instalado o Laboratório de Análise Física do Café, já utilizado inclusive para a análise das amostras de café participantes do Concafé – Concurso de Qualidade e Sustentabilidade do Café de Rondônia.
 
“Agora com o laboratório instalado, vamos destiná-lo também para a análise do café produzido em toda a região, pelos produtores rurais rondonienses”, destaca o diretor do Ifro em Cacoal, Davys Sleman de Negreiros.
 
É neste laboratório que agora acontece o Curso de Formação de Classificadores de Café. A parceria com o Mapa garantiu também a instalação do Laboratório de Análise Sensorial de Café. Hoje, em Rondônia, há apenas um analista regulamentado em todo o Estado.
 
O esforço do Ifro, que tem como proposta a implantação de um Centro de Excelência de Café no Campus de Cacoal, chamou a atenção do Governo do Estado, que tem prestado todo o apoio ao Instituto. “São essas parcerias que vão fortalecer ainda mais a cafeicultura rondoniense. Em conversa com o secretário Evandro Padovani, por estarmos na região de café, o Estado está centralizando todos os equipamentos de análise de café que estavam espalhados, para o nosso Campus. Uma parceria importantíssima, primeiro por dar uso social aos equipamentos, por capacitar os profissionais de Rondônia e por aplicarmos também no ensino, pesquisa e extensão no Campus”, finalizou o diretor Davys Negreiros.
 
 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS