BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

OPINIÃO DE PRIMEIRA - Uma blitz de poucas horas: 607 carros multados na BR 364 – Por Sergio Pires

COLUNA

14 de Maio de 2015 às 09:15

Foto: Divulgação

As campanhas que pretendem diminuir os acidentes, as mortes, os traumas, os feridos para toda a vida e os que sofrem longos períodos como vítimas das colisões, eventualmente trazem alguns resultados positivos, mas sempre muito longo do ideal. Por quê? A resposta é simples: são muitos dos condutores de motos, carros, ônibus, caminhões os que não respeitam as leis do trânsito, os que são irresponsáveis, os que colocam em risco suas vidas e as dos outros. Em Porto Velho, o número de acidentes caiu 20 por cento. Alguém notou isso? Não parece que aumentou ao invés de diminuir, já que a cada esquina e a toda hora se vê alguma colisão? E os 40 por cento de mortes a menos, o que significa? Morriam dez, agora morrem seis. E daí? O número de feridos graves e dos que ficarão com sequelas para a vida toda , só aumenta. Como melhorar o trânsito com exemplos como os do domingo, dia 3 deste mês de maio? Em poucas horas, nada menos do que 607 veículos foram multados por andar em alta velocidade na BR 364, em áreas em que o máximo permitido é 80 quilômetros por hora. Outros 359 foram parados em blitz, com (vejam bem!) 372 pessoas fazendo o teste do bafômetro. Houve seis autuações e duas prisões.
Carros andando até nas cidades, em ruas estreitas, em alta velocidade: motoqueiros malucos, fazendo peripécias pelas estradas, rodovias e nas cidades; caronas sem qualquer segurança; motoristas e motociclistas querendo um tomar o lugar do outro: essas cenas demonstram muito bem o que acontece no trânsito. Não há campanha de conscientização que dê certo, enquanto os condutores forem irresponsáveis e usaram seus veículos como armas. Multar, punir, fiscalizar, tudo isso ajuda. Mas enquanto quem estiver na direção não for educado para conviver nas ruas, as estatísticas só tendem a piorar.
PREÇOS ABUSIVOS
Outro lado da questão em relação ao trânsito. Com os preços abusivos das taxas e impostos, cada vez menos donos de veículos mantém sua documentação em dia. É taxa sobre taxa e imposto sobre imposto, dando impressão que os governos (nos três níveis), querem tirar até o último centavo do contribuinte. O IPVA é absurdo; tem que se pagar taxas até para respirar e o serviço de contrapartida é um pouco acima do ridículo. Isso vale para Rondônia e vale para todo o país. Cofres lotados dos Detrans, bolsos vazios dos cidadãos.
CADÊ O TERMINAL?
A falta de planejamento e a descontinuidade de obras de uma administração para outra, são comuns na administração pública. Em Porto Velho, há vários exemplos disso. Um deles, gritante, é o relacionado com um Terminal de Ônibus, projetado na administração Roberto Sobrinho e abandonado na de Mauro Nazif. A obra seria na rua Euclides da Cunha, no centro. Algumas barracas que vendiam bugigangas existiam ali há muito tempo e foram arrancadas em 2012, deixando muita gente pobre praticamente ao relento. Agora, três anos depois, nem um só tijolo foi colocado no tal Terminal. O mato toma conta do local e os barraqueiros nunca mais voltaram. Está tudo abandonado.
QUEM MANDA É O MP!
Realmente o Ministério Público está influindo muito (para não dizer que está decidindo), sobre questões importantes, tanto políticas quanto administrativas de cidades rondonienses, A última foi em Ouro Preto. A Prefeitura estava preparando uma grande festa para 16 de junho, quando a cidade comemora 34 anos de emancipação. Uma "recomendação" (que na tradução para o linguajar popular quer dizer, uma ordem!) dos promotores da cidade, "sugeriu" que não fosse gasto dinheiro com festa, enquanto setores como educação e saúde estariam precários. A prefeitura Joselita Araújo, que não é boba, acatou imediatamente a "recomendação"...
HERMÍNIO PREVIU
A crise de Cacoal repercutiu na Assembleia, nessa semana. O deputado Hermínio Coelho, ex presidente da ALE, fez um duro discurso, dizendo que já na campanha da reeleição do Padre Franco, tinha avisado várias vezes de que havia esquemas de corrupção na Prefeitura. Chegou a dizer que "todo o trabalho social feito pelo Padre Franco, que o credenciou para um mandato político, agora deságua na corrupção". Hermìnio foi mais longe: " infelizmente o padre Franco se perdeu ao colocar uma aloprada (referindo-se à chefe de gabinete Maria Ivanir) para ser a gestora principal da prefeitura".
PROFETA
Ao discursar, a deputada Glaucione Nery, que foi derrotada pelo Padre Franco, na disputa pela Prefeitura de Cacoal, chamou Hermínio de "profeta". Ela lembrou que Hermínio teve a visão do futuro, naquela campanha, ao alertar sobre a grave situação da administração. Ela destacou ainda que a profecia do seu colega parlamentar foi clara, há muito tempo atrás, na época da campanha. Hermínio dizi que "se o Padre fosse novamente eleito, a quadrilha ganharia mais poder e o resultado seriam processos e pessoas presas, e realmente o que ele dizia aconteceu”. A eleição em Cacoal foi disputadíssima e o Padre Franco venceu Glaucione por poucos votos.
PERGUNTA
Quando vão recomeçar as obras para concluir o novo Espaço Alternativo, que estão paradas por falta de autorização ambiental da Prefeitura de Porto Velho?
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS