BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Feliz Aniversário minha sempre adorada Vó Inácia - Por Andrey Cavalcante

Por Andrey Cavalcante

Por Andrey Cavalcante

15 de Maio de 2020 às 14:39

Atualizada em : 15 de Maio de 2020 às 14:46

Foto: Divulgação

 
 
Maria Inácia da Silva... Sua imagem está associada às minhas melhores lembranças. A cada momento feliz de minha vida. Em cada conquista, você está lá, a orientar minha caminhada, a me estimular a seguir em frente, a superar as muitas pedras encontradas no caminho. Sem jamais deixar de respeitar a quem antes passou por ali, ou estimular os que virão depois. Mas, principalmente, com a humildade generosa de nunca deixar de reconhecer os esforços daqueles que não conseguiram avançar. 
 
Vi você, minha avó, junto ao vovô Enéas Cavalcante, no belo poema improvisado em cordel por Bráulio Bessa: "A ordem que a mãe ordena, a avó vem por trás e desmancha. / Quando o pai fica valente, o avô chega perto e amansa! / Na faculdade do amor, esses dois têm nível superior/ Para mimar uma criança /  E um coração tão capaz / de amar sem pedir troco! / A verdade é uma só: Todo avô e toda avó é pai e mãe/ só que em dobro.
 
Nascida em Manaus, criada até a adolescência em Xapuri. Filha de Maria dos Anjos, portuguesa de serra da estrela, minha avó Inácia foi pioneira em Rondônia!  Foi a primeira mulher a dirigir um automóvel em Porto Velho. Algo demonstra sua capacidade de romper obstáculos e estabelecer novos paradigmas. Tudo isso sem descuidar da beleza, da elegância, do trabalho e especialmente da generosidade. Junto com meu avô Enéas, empresário pioneiro, instalou, na Rua Henrique Dias a Casa Manicoré, para comercializar materiais de construção e garimpo.
 
E mesmo trabalhando no comércio, criou os filhos Lourdinha Cavalcante e Hiran Gallo, sem descuidar de ajudar na criação dos netos Andrey e Rehnan Cavalcante, Daniele Gallo e Hiran Gallo. Ajudou a me criar e me formar, pelo que jamais serei capaz de devolver, senão uma mínima parcela do muito que ela me deu e ensinou, com seu espírito pleno de generosidade. Residente hoje em Brasília, sua presença é sempre suavemente permanente a orientar meus passos.
 
Foi com a senhora. Vó Inácia, que aprendi a confiar mais nas pessoas, a batalhar pelos meus objetivos e não desistir dos meus sonhos. Foi a senhora que me ensinou a acreditar no amor e fazer tudo sempre em busca de ajudar os outros. E aprendi mais, e melhor, pelos ensinamentos terem sido embalados em elevadas dosagens de carinho e paciência, transbordantes de amor e atenção. 
 
Há coisas na vida que somente a experiência é capaz de proporcionar. Sua forma serena de encarar o mundo, Vó Inácia, me permitiu saber, por exemplo, que amor compartilhado não esgota a fonte. E nada mais feliz do que conhecer a vida por seus exemplos. Parece que somente você é capaz de compreender meus erros e aplaudir meus acertos.
 
Eu peço ao Senhor que neste dia especial você receba Dele o melhor em sua vida, o dom perfeito e toda boa dádiva. Nunca se esqueça que Deus fez de você uma grande mulher, e lhe deu capacidade e fé para cuidar de toda nossa família, sendo um exemplo de mãe, avó e mulher. E Deus, com certeza, vai lhe presentear com muitos dias felizes iguais a esse.
 
Hoje é um dia precioso para mim, porque simboliza a maior felicidade que um coração de neto pode sentir. A de dizer com muito carinho: Feliz aniversário, minha querida Vó Inácia. Eu te amo!
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS