EM SETEMBRO: Argentina deve começar a analisar reabertura de fronteiras

A informação é do secretário executivo do Instituto Nacional de Promoção Turística da Argentina (Inprotur), Ricardo Sosa

EM SETEMBRO: Argentina deve começar a analisar reabertura de fronteiras

Foto: Divulgação

A  Argentina começa a analisar a reabertura das fronteiras a partir de setembro, de acordo com o avanço no processo de vacinação por todo o país. A informação é do secretário executivo do Instituto Nacional de Promoção Turística da Argentina (Inprotur), Ricardo Sosa, que participou de uma coletiva com a imprensa especializada da América do Sul, nesta sexta-feira (11).
 
A  Argentina já aplicou 16 milhões de doses de vacina da Covid-19. A previsão é que de 35 a 40% da população esteja vacinada (com a primeira dose) até o fim deste mês de junho, por conta da chegada de outras 24 milhões de doses.
 
Esse avanço já faz o país analisar uma possível reabertura das fronteiras dentro de dois ou três meses. Mas isto só vai acontecer quando alcançarmos um nível seguro de vacinação. Por enquanto, a missão é manter a promoção internacional e o contato com as companhias aéreas, agências e operadores”, destacou.
 
Esse avanço já faz o país analisar uma possível reabertura das fronteiras dentro de dois ou três meses. Mas isto só vai acontecer quando alcançarmos um nível seguro de vacinação
 
No encontro, também foram abordados temas como a reativação do turismo argentino com retorno à presença física nas feiras, a reabertura das fronteiras, o avanço da vacinação, os protocolos adotados em todo o país e a importância do mercado brasileiro nesta retomada, este último destacado pelo secretário da Inprotur.
 
Para nós, o mercado brasileiro é extremamente importante. Na pré-pandemia, era o principal emissor com 1,5 milhão dos 7 milhões que ingressaram na Argentina em 2019. Temos hoje 15 mercados prioritários que representam 89% das chegadas de turistas, sendo cinco limítrofes, que englobam 65% de todos os turistas, além de Estados Unidos, México, Perú, Colômbia, Canadá e os membros tradicionais da Europa, como Alemanha, França, Itália, Reino Unido e Espanha”, disse Sosa.
 
Inprotur terá ação específica para Região Sul do Brasil
 
A linha de trabalho da Inprotur engloba todos os segmentos de turistas provenientes do Brasil. Tanto para aqueles que viajam de avião, através dos principais aeroportos, quanto para os que viajam de carro, principalmente da Região Sul (Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina), onde estão concentrados cerca de 30 milhões de habitantes.
 
É esse público, distante da Argentina em até 500km, que ganhará um plano exclusivo de promoção.
 
Temos um plano para esses estados limítrofes, que podem ter a possibilidade por via terrestre de circular no país com a proposta relacionada ao turismo de natureza, pesca esportiva e gastronomia”, disse Sosa. “De dezembro a abril, por exemplo, abrimos o sistema turístico a nível doméstico, após a criação de 14 protocolos de segurança sanitária, e mais de 15 milhões de pessoas viajaram sem nenhum foco massivo de contaminação”, completou.
 
A atual conjuntura, de acordo com o secretário executivo, faz com que os visitantes busquem o turismo de natureza. Sendo assim, haverá uma reorganização dos produtos para gerar ao turista essa vontade de viajar. “O turista poderá criar seu itinerário, unindo diferentes destinos do turismo de natureza, dentro da chamada ‘Rota Natural’. Temos mais de 50 parques nacionais por todo o país, espaço que garante a existência da natureza sem a intervenção do homem”, completou.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

V DA S Parnaiba

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS