CPI DA COVID: Prefeita de Guajará-Mirim pode ter de explicar ao Senado sobre vacinas estragadas

De acordo com registro em ocorrência policial no dia 16 de maio, as doses estavam dentro da câmara fria no prédio da NUVEPA

CPI DA COVID: Prefeita de Guajará-Mirim pode ter de explicar ao Senado sobre vacinas estragadas

Foto: Divulgação

A prefeita de Guajará-Mirim, Raissa Bento, poderá ter de prestar esclarecimentos à CPI da COVID, sobre como deixou que 4.653 doses de vacina contra a COVID-19 estragassem dentro do prédio do Núcleo de Vigilância Sanitária Epidemiológica e Ambiental – NUVEPA.
 
A solicitação para que Raissa Bento esclareça todos os detalhes de como esse fato aconteceu foi apresentada em requerimento pelo Senador Marcos Rogério, membro da CPI da COVID no Congresso Nacional. 
 
De acordo com registro em ocorrência policial no dia 16 de maio, as doses estavam dentro da câmara fria no prédio da NUVEPA, que ficou sem fornecimento de energia elétrica por uma suposta tentativa de furto de fios, deixando o local abaixo da temperatura necessária para manter a integridade das vacinas. 
 
A CPI da Pandemia, ou CPI da COVID, como é popularmente conhecida, foi instaurada no Senado para investigar as ações dos governantes em relação as medidas tomadas e gastos de dinheiro público durante o período de calamidade pública por conta da pandemia de COVID-19.
 
Veja requerimento:
 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS