BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

RELATOR DA CPI: Jair Montes consegue judicializar mais de R$ 1 bi de dívidas da Energisa RO

A empresa deve ao Estado R$ 1.729.805.000,00

ASSESSORIA

27 de Outubro de 2020 às 17:50

Foto: Divulgação

Durante questionamento da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) o relator deputado estadual Jair Montes perguntou ao diretor  da Energisa Rondônia, André Teobaldo, algumas questões em que ele nega que a medição e leitura estejam erradas e diante disso o relator Jair Montes disparou : “ Isso é inacreditável nós pagamos o maior quilowatts do país . Onde, eu moro, não pode dar um trovão, que a energia vai embora. Na minha casa, quanto mais economizamos, mais o valor aumenta. A Energisa que o senhor nos apresentou aqui, infelizmente não condiz com a realidade. A realidade é outra: o consumidor é massacrado e o serviço é de péssima qualidade. Com tristeza eu digo isso.”
 
Durante o questionamento da CPI da Energisa Rondônia ocorrida na tarde desta segunda-feira (26) na Assembleia Lesgislativa de Rondônia (ALE) o presidente Andrey Teobaldo, presidente da energisa RO nega que a medição e leitura dos relógios possam estar erradas e que há ha truculência no atendimento.”
 
“Em Rondônia, o consumidor é massacrado com serviço de péssima qualidade.”  Ainda disse o relator .
 
A empresa deve ao estado e se não fosse a ação dessa casa de leis que indicou ao estado a cobrança do valor devido, essa empresa teria sido beneficiada com desconto vergonhoso, como uma empresa que humilha e constrange a população. Esta CPI apurou todas as denúncias feitas pelo consumidor e vamos fazer um relatório que será entregue até o dia 10, com orientações para esta casa de leis. Assegurando que o serviço seja prestado seguramente ao consumidor. Outro ponto importante e que não foi cumprido, é que esta empresa durante a pandemia infringiu a lei realizando corte de débito. 
 
Esta casa de leis vai estar trabalhando sempre a favor do consumidor rondoniense e esta CPI ja teve algumas conquistas, como: a judiciarização da Procuradoria Geral do Estado no valor R$ 1.729.805.000,00 (um bilhão setecentos e vinte nome milhões e oitocentos e cinco mil reais) valor este que a empresa deve ao estado.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS