BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

CONFRONTO : Criança e mais quatro pessoas são baleadas durante tiroteio

A mulher e a criança não correm risco de morte; mas o idoso atingido na cabeça está em estado grave

Folha do Sul

10 de Maio de 2020 às 10:19

Atualizada em : 10 de Maio de 2020 às 10:44

Foto: Divulgação

Segundo informações obtidas com policiais militares, ao que tudo indica,teria sido uma discussão entre vizinhos que no final da tarde deste sábado, 09, deixou cinco pessoas feridas em uma troca de tiros ocorrida na Rua 10.107 do Residencial Maria Moura, entre elas uma criança.


 
Ainda não está clara a dinâmica dos fatos, mas segundo alguns policiais, o motorista do Gol “quadrado” (as identidades dos envolvidos não foram divulgadas pelas autoridades) teria usado de uma escopeta calibre 12 para atirar contra seu vizinho, atingindo a esposa e a filha do homem que era o alvo. O crime aconteceu em Vilhena (RO).


 
Com a esposa e a filha feridas, o homem entrou em casa, voltou armado e baleou o motorista do Gol e o pai dele. Na sequência colocou a mulher e a filha feridas no carro e levou para o Hospital Regional. As deixou lá e fugiu.


 
Ao que tudo indica, o motorista do gol foi baleado dentro do veículo, já que havia marcas de tiros na porta. Ele dirigiu por cerca de cinco quarteirões até perder o controle do veículo, subir a calçada e atingir a frente do mercadinho.


 
Tanto o motorista do Gol quanto o pai dele foram levados pelo corpo de bombeiros ao pronto socorro do hospital regional.


 
Outro idoso que seria parente da mulher e da criança, também foi socorrido pela unidade de resgate dos Bombeiros. Ele apresentava um ferimento na altura de um dos joelhos, mas não foi precisado se ele foi alvejado, ou se machucou enquanto tentava se esquivar dos disparos.


 
Segundo apurado, mãe e filha não correm risco de morte. O quadro do motorista do Gol e o do pai dele são mais graves e requerem mais cuidados.


 
A polícia ainda não localizou o segundo atirador que fugiu após deixar a esposa e a filha no hospital.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS