INSENSÍVEIS: Golpistas da BR-364 impedem que filha se despeça da mãe que morreu

Mulher recebeu chamado da irmã dizendo que mãe não estava bem e ela não chegou a tempo

Um vídeo que circula em grupos de WhatsApp e redes sociais desde sábado (19) mostra o desespero de uma mulher, que se identificou como Sônia, que estava a caminho de Cacoal (RO), após sair de Pontes e Lacerda (MT) para se despedir da mãe que estava morrendo.

 

“Minha irmã ligou dizendo que minha mãe não estava bem. Peguei o ônibus 09 horas da noite em Pontes e Lacerda. Cheguei aqui e tinha a paralisação, que dava para eu chegar muito bem a tempo. Agora acabei de receber a notícia que minha mãe faleceu. Porque vocês não deixaram a gente passar. Eu tô com minha mãe lá do outro lado de Cacoal e vocês não deixam a gente passar”.

 

Em Pimenta Bueno (RO), após ficar parada por quase 10 horas nos bloqueios, ela continua o desabafo. Chorando, ela coloca a culpa nos movimentos antidemocráticos, que pedem intervenção militar (golpe) e não reconhece o resultado das eleições que deram a vitória a Lula:

 

“Que culpa eu tenho por causa de política? Eu perdi a minha por causa de vocês! Você tem noção de que eu estou sentindo agora? Não deu tempo de pegar na mão da minha mãe viva! Agora vou ver minha mãe em um caixão porquê vocês não deixaram a gente passar! Não façam isso com mais ninguém! A dor que estou sentindo não desejo para ninguém”.

 

Em lágrimas, dona Sônia desabafa contra bloqueios, que fizeram não dar tempo de ver mãe ainda viva em Cacoal - Foto: Reprodução de vídeo

 

E encerra fazendo um pedido que é igual ao da maioria da população: “Vocês ficam idolatrando Bolsonaro. Pra quê isso? Por favor, libera! Quanto mais vocês fizerem paz, mais nós vamos ter paz. Que seja feita a vontade de Deus”.

 

Agressão e racismo

 

Na região de Cacoal, segundo a PRF, um caminhoneiro foi agredido com uma pedrada na cabeça. Ainda não há atualizações sobre o estado de saúde dele.

 

Por meio de nota, a corporação informou que muitas pessoas têm abandonado os locais de bloqueios por não concordarem com ações violentas que estão acontecendo, principalmente, desde o último sábado (19).

 

Um agente da Polícia Rodoviária Federal (PRF) foi alvo de ataque racista durante a prisão de um suspeito de furtar carga de caminhões na BR-364, em Ariquemes. O caso aconteceu durante a madrugada deste domingo (20).

 

“Você só é homem com essa farda, quero ver você tirar essa farda seu preto encardido”, disse o suspeito no momento da prisão.

 

De acordo com o boletim de ocorrência, a equipe da PRF foi ao local analisar denúncias de vandalismo contra carretas de um supermercado de Rondônia e o furto de cargas durante o bloqueio que acontecia no Km 512 da BR-364.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS