SAÚDE: Associação leva atendimentos a quilombolas, ribeirinhos e indígenas

A equipe multiprofissional de saúde da ONG esteve em quatro comunidades tradicionais ribeirinhas, quilombolas e indígenas

SAÚDE: Associação leva atendimentos a quilombolas, ribeirinhos e indígenas

Foto: Divulgação

A equipe da Associação Beradeiro em parceria com a Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) estiveram entre os dias 31 de maio a 05 de junho em Costa Marques e São Francisco do Guaporé para desenvolver uma das etapas do projeto Rondônia Viva Melhor Sabendo.

 

A equipe multiprofissional de saúde da ONG foi a quatro comunidades tradicionais ribeirinhas, quilombolas e indígenas: Real Forte Príncipe da Beira e Santa Fé (ambas em  Costa Marques),  Porto Murtinho e Pedras Negras (São Francisco do Guaporé).

 

 

Nessas localidades, as equipes de Saúde da Família de cada município prestaram apoio às atividades da Associação Beradeiro.

 

Durante seis dias, mais de 120 pessoas entre adultos e crianças receberam atendimentos, com realização de testes rápidos para diagnóstico da sífilis, hepatites B e C e autotestes para vírus HIV, atualização de vacinas de rotina, campanha contra a Covid-19 e influenza, além de atividades educativas, verificação de pressão arterial e exames de glicemia.

 

 

Estas atividades desenvolvidas estão vinculadas ao projeto apoiado pelo Ministério da Saúde e pelo Programa pelo Desenvolvimento das Nações Unidas (PNUD).

 

Para o enfermeiro Marcuce Santos, coordenador do projeto, essa etapa é um divisor de águas para a ONG que pela primeira vez leva o projeto para outros municípios de fronteira.

 

“Nosso papel é aumentar o acesso aos exames que possibilitam o diagnóstico mais precoce das infecções sexualmente transmissíveis e estabelecer uma nova cultura de prevenção e de promoção a saúde sexual segura. Em especial, às pessoas que vivem em locais mais afastados das áreas urbanas”, falou Marcuce.

 

Direito ao esquecimento

Você acredita que candidatos evangélicos são realmente ungidos de Deus ou são “ungidos” do pastor?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS