'ENXERGAR': 5ª etapa do projeto que vai garantir cirurgias de catarata é iniciada em Cacoal

Governador anuncia mais uma etapa do Programa Enxergar

'ENXERGAR': 5ª etapa do projeto que vai garantir cirurgias de catarata é iniciada em Cacoal

Foto: Divulgação

O Governo de Rondônia deu início, nesta sexta-feira (13), a mais uma etapa do Projeto Enxergar em Cacoal. Esta já é a quinta edição do projeto que tem como objetivo principal a realização de cirurgias oftalmológicas para remoção de pterígio (carne crescida) e também de catarata. A cerimônia de lançamento desta nova edição aconteceu na Escola Estadual Josino Brito.
 
De acordo com o governador Marcos Rocha (que manteve a distância durante seu pronunciamento em cumprimento ao protocolo de segurança contra a covid-19), a expectativa é  para que até o final do ano, aproximadamente 10 mil cirurgias sejam realizadas desde o início do Projeto Enxergar em Rondônia.
 
“É  um projeto que estamos realizando por meio da Secretaria de Saúde (Sesau) e agora chegamos à quinta edição. Nosso objetivo é fazer 10 mil pessoas enxergarem até dezembro. Pessoas essas que estavam sem conseguir ver seus parentes, sua família, seus amigos,  sem conseguir fazer uma leitura”, destacou o governador.
 
Em Cacoal, a 5ª edição do Projeto Enxergar será dividida em duas fases. Até o dia 30 de agosto, os pacientes passarão por consulta e exames oftalmológicos. Esses procedimentos são necessários antes das cirurgias, tanto de pterígio, como de cataratas.  Já os procedimentos cirúrgicos acontecem a partir da segunda quinzena de setembro.
 
A expectativa é de que sejam realizadas pelo menos duas mil consultas, mais de 14 mil exames oftalmológicos complementares e um total de mil cirurgias de catarata e duzentas de pterígio em Cacoal. Todas as etapas são realizadas sem nenhum custo ao paciente.
 
 
Pacientes falam de gratidão e da expectativa de voltar a enxergar bem
 
“Hoje a gente tem condições de fazer essas pessoas voltarem a enxergar, devolver qualidade de vida. São recursos públicos aplicados diretamente para o benefício da população”, pontuou o governador Marcos Rocha.
 
Nesta nova etapa do Projeto Enxergar em Cacoal, foi disponibilizada pela deputada federal Jaqueline Cassol uma emendar parlamentar no valor de R$3,6 milhões.
 
“Utilizando de algumas parcerias, recursos de deputados e também com recursos do Governo de Rondônia, gerenciado pela Sesau, o objetivo é zerar a fila por esse tipo de cirurgia. Tivemos que dar um tempo, por causa da pandemia, cumprindo as regras sanitárias, e agora estamos  retomando para mais cinco mil cirurgias até o final do ano. Já para o primeiro trimestre de 2022, a gente deve chegar a cerca de 13 mil cirurgias de cataratas e pterígios  no estado de Rondônia”, completa Fernando Máximo, secretário de Estado da Saúde.
 
ENXERGAR É UMA DÁDIVA
 
 
Serralheiro Brás Firmino Pereira convive com a catarata e o pterígio há aproximadamente 20 anos
 
Para o serralheiro Brás Firmino Pereira, de 51 anos, a expectativa pela cirurgia oftalmológica é grande. Morador de Novo Horizonte, ele sofre com catarata e pterígio há mais de 20 anos.
 
“O que está acontecendo em Rondônia é uma dádiva. Até hoje eu não tive condições de fazer a cirurgia, mas agora chegou a minha vez e a expectativa é enorme. Graças a Deus, a todas as pessoas envolvidas e ao governador, vou voltar a enxergar bem e isso me deixa emocionado”.
 
Aos 33 anos de idade, a professora de química Keile dos Anjos conta um pouco do sofrimento que é conviver com o pterígio. “Além de irritar, você sente que tem alguma coisa estranha ali no seu olho. Mesmo com óculos, de dois graus e meio por conta da miopia, a minha visão permanece embaçada por conta do pterígio”, explica.
 
Sobre a iniciativa do Projeto Enxergar, executado pelo Governo de Rondônia, a professora rende elogios. “Eu acho fantástico! Muitas pessoas não tem condições de fazer essa cirurgia no particular, então é algo que vem para mudar a vida de muita gente. Para quem não tem essa condição, é simplesmente fantástico”, reitera.
 
A aposentada Ivonete Cardoso, de 60 anos, também está bastante ansiosa pela chance de voltar a enxergar melhor. Ela veio de Migrantenópolis para fazer a consulta e exames e está na expectativa pela cirurgia. “Não dá pra dizer a emoção que é, ter a chance de voltar a enxergar melhor, com mais cor, tudo limpinho nas vistas. Eu quero muito fazer essa cirurgia e esse projeto do Governo me trouxe essa esperança”, finaliza.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS