NÃO RESISTIU: Corpo de professor morto pela Covid em Cuiabá será sepultado em Vilhena

Educador peruano morava há 20 anos no Brasil e trabalhava na UFMT

NÃO RESISTIU: Corpo de professor morto pela Covid em Cuiabá será sepultado em Vilhena

Foto: Divulgação

Será sepultado hoje (12), em Vilhena, o corpo do professor universitário Victor Alberto Espinoza Canchis. Ele tinha 45 anos e faleceu na última terça (11), em Cuiabá, onde passou 36 dias internado, depois de ser diagnosticado com a Covid-19.
 
Peruano que morava há 20 anos no Brasil, Victor lecionava na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Ele passou 12 dias intubado, após seu quadro se agravar pelas complicações da doença.
 
Casado com a enfermeira Karina Evangelista, que nasceu em Vilhena, mas estava morando em Cuiabá, o peruano costumava visitar os sogros, que continuam residindo na cidade.
 
Karina, que vem mensalmente a Vilhena, para cuidar dos pais, também contraiu o novo Coronavírus, mesmo após tomar as duas doses da vacina contra a doença. Justamente por causa da proteção garantida pelo imunizante, ela sentiu apenas sintomas leves.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

V DA S Parnaiba

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS