AMPLIAÇÃO: Governo solicita instalação de tanques reservas de oxigênio no Complexo Hospitalar de Cacoal

As duas unidades hospitalares contam com cilindros de oxigênio para serem usados de forma estratégica e emergencial

AMPLIAÇÃO: Governo solicita instalação de tanques reservas de oxigênio no Complexo Hospitalar de Cacoal

Foto: Divulgação

 

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, o abastecimento de gases medicinais não tem gerado problemas ao Complexo Hospitalar Regional de Cacoal.
 
 
Desde 2012, uma empresa terceirizada presta serviço ao Governo de Rondônia e tem atendido as demandas do Hospital Regional (HRC) e do Hospital de Urgência e Emergência Regional de Cacoal (Heuro).
 
Mesmo assim, o Governo do Estado se antecipou a uma possível falta de oxigênio, devido ao aumento da demanda em todo o Brasil e solicitou à empresa a ampliação do fornecimento para o Complexo Hospitalar. Agora, além dos tanques criogênicos de oxigênio líquido e usinas de ar comprimido medicinal, tanto o Heuro quanto o Hospital Regional contam com tanques reservas de oxigênio.
 
Atualmente, no HRC, a capacidade de produção de ar comprimido chega a 100 metros cúbicos (m³) por hora e o tanque principal de armazenamento comporta até 19.000 m³ de oxigênio. O tanque é monitorado por telemetria, que aciona a empresa quando atinge o nível ideal para recarga. Já o tanque reserva instalado recentemente, a pedido do Governo de Rondônia, conta com 4.850 m³ de oxigênio.
 
O mesmo acontece no Heuro, que conta com uma usina de ar comprimido produzindo, em média, 65 m³ por hora e ainda possui um tanque criogênico de oxigênio, com capacidade de armazenar até 10.000 m³.
 
Já o novo tanque reserva comporta até 1.730 m³. As duas unidades hospitalares contam com cilindros de ar comprimido medicinal e também de oxigênio, para serem usados de forma estratégica e emergencial.
 
O ar comprimido medicinal e o oxigênio que abastecem o Complexo Hospitalar chegam direto ao paciente, por meio de uma rede instalada em cada uma das unidades hospitalares. No HRC, por exemplo, da usina e do tanque, os insumos chegam aos 120 leitos clínicos, 35 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), as cinco salas de cirurgias e aos quatro leitos de recuperação pós anestésicos.
 
“No respirador, os gases medicinais são liberados aos pacientes por válvulas reguladoras e fluxômetros, conforme a orientação médica. Vale ressaltar que na usina, o sistema é automatizado. O ar comprimido tratado, passa por todo um processo que o transforma em ar medicinal e abastece o HRC”, explicou Gil Carvalho, responsável pelo Núcleo de Gases Medicinais do HRC.
 
Em Cacoal, os dois hospitais do Governo de Rondônia contam com um Núcleo de Gases Medicinais e com o suporte da empresa terceirizada, que tem atendido de forma bastante satisfatória a demanda de todo o Complexo Hospitalar Regional, que é referência em saúde para mais de 30 municípios rondonienses.
 
“É um trabalho constante e um esforço conjunto para garantir o atendimento nas duas unidades hospitalares”, destacou Peter Riquelme, responsável pelo Núcleo de Gases Medicinais do Heuro.
 
Distribuição dos gases medicinais é de acordo com a necessidade apresentada pelos municípios rondonienses
 
APOIO 
 
 
O Governo de Rondônia busca dar suporte aos municípios, intermediando junto ao Ministério da Saúde o envio de oxigênio para atender a demanda das prefeituras municipais. Na última semana, o Poder Executivo Estadual, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau), recebeu a terceira remessa de oxigênio em isotanque, com cinco mil e 400 metros cúbicos de oxigênio líquido destinado ao tratamento de pacientes graves da Covid-19.
 
 
O Executivo Estadual tem procedido com a distribuição, conforme a necessidade apresentada pelos municípios rondonienses, por meio do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Rondônia (Cosems).
 
Além de três isotanques, o Governo Federal já enviou a Rondônia duas remessas de cilindros de oxigênio, totalizando 360 cilindros, com capacidade de 10 m³ de oxigênio cada um. Para a Região do Café, nestes últimos dias, estão sendo destinados 12 cilindros para o município de Cacoal, cinco para Ministro Andreazza, sete para Pimenta Bueno, cinco para Primavera de Rondônia, sete para São Felipe do Oeste, cinco para Espigão do Oeste e seis para Parecis.
 
 
O Governo de Rondônia tem tido muita responsabilidade em relação ao oxigênio e ar comprimido medicinal. Hoje, aqui no Complexo Hospitalar temos toda a estrutura para abastecer tanto o HRC quanto o Heuro. Além disso, o governador Marcos Rocha tem dado essa atenção aos municípios, buscando junto ao Governo Federal dar esse suporte à saúde pública municipal. É um esforço do Estado para não deixar nenhum município rondoniense desassistido”, ressaltou o diretor do Complexo Hospitalar, João Henrique Gomes.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS