BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

CORONAFEST: 36 pessoas são presas e filho de empresário provoca policiais

Drogas também foram encontradas na casa onde as pessoas se aglomeravam, localizada no município de Vilhena

Folha do Sul Online

17 de Agosto de 2020 às 09:13

Atualizada em : 17 de Agosto de 2020 às 09:14

Foto: Divulgação

 

FOLHA DO SUL ONLINE - Na noite do último domingo (16), várias viaturas da Polícia Militar foram mobilizadas, através de ligações de vizinhos, para acabar com uma “Corona Fest” que estava sendo realizada no Parque Industrial Novo Tempo, em Vilhena.

 
Ao chegarem à residência denunciada nas chamadas para a Central de Operações, os policiais perceberam que os participantes do evento tentaram ocultar a festa, que era realizada para comemorar o nascimento de uma criança: lonas nas grades do portão, luzes apagadas e silêncio simultâneo dos convidados.
 
Os PMs pularam o muro do imóvel e, ao flagrarem os participantes da festa sem máscaras, contrariando leis municipais e estaduais que proíbem a aglomeração de pessoas, deram voz de prisão aos que descumpriam as regras do isolamento.
 
Quando as 36 pessoas acusadas (incluindo uma adolescente de 17 anos) eram colocadas nas viaturas, um dos participantes do festejo partiu para ofensas contra um policial, alegando que o pai dele era empresário e que as autoridades não poderiam fazer nada. “Eu não posso ser algemado”, teria dito o rapaz de 22 anos, que também provocou, dizendo que os policiais “são todos um bando de filhos da puta”.
 
Uma mulher de 33 anos, que alegava ser a dona do imóvel onde acontecia a “Festa do Vírus”, também desacatou uma policial feminina que participava da operação, dirigindo-se a ela nos seguintes termos, segundo o BO: “vocês (policiais) são uns bostas; policiais de merda; pau mandado de Juiz”.
 
Na mesma casa, a polícia localizou duas porções de maconha, uma delas nas roupas de uma delas nas roupas de uma garota de 21 anos.
 
Os 36 acusados foram levados para a Unisp, sendo que quatro deles (três homens e uma mulher) também responderão por posse de entorpecentes.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS