PERIGO: Pacientes estão sem remédio para diabetes em Porto Velho

Cloridrato de Metformina é essencial para tratamento e está em falta nos postos de saúde do município

PERIGO: Pacientes estão sem remédio para diabetes em Porto Velho

Foto: Divulgação

Há um mês, a agonia tem virado rotina de quem é paciente de diabetes e depende das farmácias públicas dos postos de saúde de Porto Velho.

 

O motivo é a falta de um remédio essencial para o tratamento, o Cloridrato de Metformina, que está em falta há tanto tempo nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), mais conhecidas como “postinhos”.

 

O cloridrato de metformina é um medicamento antidiabético de uso oral, que associado a uma dieta apropriada, é utilizado para o tratamento do diabetes tipo 2, isoladamente ou em combinação com outros antidiabéticos orais. Pode ser utilizado também para a diabetes tipo 1 como complemento ao uso da insulina.

 

A situação é mais preocupante ainda para a jovem Quiuria Laia, que tem a mãe e a avó com diabetes e que dependem do Cloridrato de Metformina para viver. Segundo ela, ambas usam o remédio três vezes ao dia e recebiam a quantidade adequada para um mês de tratamento.

 

“Tentamos conseguir no Ernandes Índio e no Hamilton Gondim [zona Leste da capital], mas ambos estão com a falta do remédio. Muita gente está reclamando disso. Os funcionários não disseram o motivo do problema nem deram previsão de chegada”, lamentou Quiuria.

 

E de acordo com a jovem, o desespero ainda aumento, pois para continuarem tendo uma qualidade de vida adequada, elas precisam comprar os medicamentos. Cada caixa custa de 8 a 10 reais e tem 30 comprimidos, que duram apenas 10 dias.

 

Controle e tratamento da diabetes é feito diariamente; por isso, o Cloridrato de Metformina é essencial na rotina dos pacientes - Foto: Interstid/iStockphoto

 

Em um mês, o consumo de remédios é de três caixas, já que usam três vezes ao dia e o gasto varia entre 24 a 30 reais. Os valores podem fazer muita falta em uma família que tem pouco dinheiro sobrando no orçamento.

 

“A questão é que nem todo dia elas têm dinheiro para comprar. A gente fica mais aliviada quando sabe que tem algum lugar para nos socorrer, tipo os postos de saúde”, afirmou ela.

 

Respostas

 

O Rondoniaovivo entrou em contato com a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), que afirmou por meio de nota, que já “fez o pedido do medicamento Cloridrato de Metformina, porém, a empresa fornecedora ainda não entregou o remédio. A empresa já foi notificada sobre o atraso e a necessidade de entrega imediata”.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

E M M M de Barros

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS