Banco digital é confiável? Confira se vale a pena para sua empresa

Banco digital é confiável? Confira se vale a pena para sua empresa

Foto: Divulgação

A tecnologia está cada vez mais presente na vida de todos e não seria diferente no dia a dia das pessoas que empreendem. Porém, ainda há um certo receio de usar essas soluções, principalmente quando elas envolvem o setor financeiro da empresa. Eis que, então, surge a dúvida se um banco digital é confiável ou não.

 

Os serviços que esses bancos têm oferecido são realmente muito atrativos e muitas vezes mais baratos que dos bancos convencionais. A onda das fintechs puxou um movimento onde foi observado que não é necessário pagar uma alta taxa para ter acesso a empréstimos, cartão de crédito e outras soluções.

 

Mas claro que toda cautela é necessária, afinal, o dinheiro que você tem para administrar sua empresa tem que ser valorizado e estar à disposição para eventuais problemas ou oportunidades que possam surgir.

 

Sendo assim, a ideia deste conteúdo é te apresentar um pouco mais sobre a história dos bancos digitais, quais serviços eles oferecem, o que é gratuito e, claro, se você pode ou não confiar. Confira cada detalhe e boa leitura.

 

O que é um banco digital?

 

Você provavelmente já ouviu falar em banco digital, conta digital, fintechs e outros termos que têm sido utilizados para designar aos serviços bancários que utilizam a tecnologia como suporte para oferecer mais qualidade e agilidade aos clientes.

 

Isso é um ponto muito importante, tendo em vista que, com a correria do dia a dia – principalmente dos micro e pequenos empresários – algumas situações precisam ser resolvidas com agilidade, já que ter uma empresa exige muito de quem a administra.

 

Tem que observar as vendas, a concorrência e as oportunidades, então não se pode mais perder tempo indo até agências bancárias para resolver pequenas coisas. Por isso os bancos digitais caíram tão rapidamente na aceitação do público.

 

Quando surgiu?

 

Os bancos digitais surgiram há pouco tempo, após regulamentação do Conselho Monetário Nacional (CMN) em 2016. Eles nasceram como fintechs, que são startups que trazem inovação tecnológica ao sistema financeiro. Também podem ser conhecidos como neobanks.

 

Como principais características, as que se destacam quando o assunto é banco digital são:

 

100% online, onde tudo pode ser feito pelo site ou aplicativo.

 

Não existem agências físicas – no máximo, alguns bancos digitais contam com espaços de relacionamento em São Paulo e Rio de Janeiro.

 

Não contam com caixas eletrônicos próprios para operações. Os saques ocorrem em caixas independentes, como da Rede 24 Horas, por exemplo.

 

Também não existem os gerentes da conta. O usuário controla todas as operações e dificilmente precisa falar com alguém.

 

O atendimento ao cliente ocorre por chat, e-mail ou telefone e quem é responsável é a equipe de suporte que trabalha no escritório central da empresa.

 

4 motivos que tornam um banco digital seguro

 

Quando se fala em confiança, alguns pontos se destacam. E é exatamente sobre eles que você verá a seguir.

 

1.Controle do banco central

 

A primeira dica para ter certeza de que um banco digital é confiável é se certificar de que ele é regulamentado pelo Banco Central. Este órgão faz várias exigências antes de liberar o funcionamento, inclusive quesitos que envolvem proteção digital das transações e dados dos usuários.

 

A Cora, por exemplo, é uma instituição financeira autorizada a operar como Sociedade de Crédito Direto (SCD). Neste caso, a licença traz uma validação de segurança vinda do Banco Central, visto que a fintech passa por uma rigorosa análise antes de receber a licença, a fim de garantir a segurança do sistema financeiro. Com isso, não dá para ter mais dúvida de que o Banco Cora é confiável, certo?

 

2.Seguem as mesmas regras de outros bancos

 

Independente de ser um banco digital ou não, toda instituição precisa estar de acordo com as regras determinadas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) e, no caso de fintechs, o órgão determinou novas regras, na resolução 4658.

 

Com isso, as instituições financeiras digitais são obrigadas a elaborar uma política de segurança cibernética, com definições de requisitos para a contratação de serviços de armazenamento de dados, de computação em nuvem e de processamento.

 

É determinado também que os bancos digitais devem possuir controles e sistemas robustos, em constante atualização, especialmente quanto à resiliência a ataques cibernéticos.

 

3.Proteção de dados

 

Além do que foi mencionado como segurança no quesito acima, a proteção sobre transações também precisa ser observada.

 

Normalmente, para ser confiável, é necessário fazer uso de protocolos de navegação seguros, como o “HTTPS”, no qual as informações são criptografadas para evitar interceptações e ataques cibernéticos.

 

Quando acessar o site da empresa, certifique-se de que há esta informação na sua barra de endereço. Se houver, você pode ficar mais tranquilo quanto a segurança.

 

4.Mais transparência

 

A internet também possibilita às pessoas terem cada vez mais voz. Isso quer dizer que, ao contratar ou utilizar um serviço sem qualidade, ou que cause problemas, você tem a possibilidade de deixar sua insatisfação disponível para mais pessoas.

 

As redes sociais e sites como Reclame Aqui possibilita acompanhar reclamações e como os bancos digitais lidam com essas situações. Por exemplo, se você observar que há muitas reclamações e que não há um parecer da instituição a respeito, já há um motivo para desconfiar.

 

Cuidados necessários para ter conta em um banco digital

 

Mas não adianta nada o banco digital oferecer todas essas proteções se você não cuidar da sua conta como ela merece, certo?

 

Então, confira algumas dicas de como aumentar sua a segurança na internet.

 

Não use rede aberta

 

Sabe essas redes de wi-fi gratuitas que você conecta ao seu telefone para usar a internet e não gastar seu pacote de dados? Pois é, elas não são muito confiáveis.

 

Por serem abertas, qualquer pessoa pode acessar, inclusive as mal intencionadas. Sendo assim, evite fazer transações com o aplicativo ou o site do banco utilizando essas redes.

 

Troque as senhas regularmente

 

De tempos em tempos, é sempre indicado trocar as senhas do seu app e até do cartão de crédito. Considere também usar caracteres especiais para deixá-las mais difíceis, como o uso de @, pontos, números e até letras maiúsculas.

 

Use o cartão virtual

 

Evite usar os dados do seu cartão físico na internet. Sempre que for comprar algo em lojas virtuais, ou assinar serviços de cobrança recorrente, prefira o cartão virtual.

 

Eles são mais seguros e válidos apenas para uma única utilização a cada vez que você gerá-lo.

 

Se você chegou até aqui, no final deste texto, provavelmente já está mais tranquilo quanto à confiança dos bancos digitais, certo?

 

Com eles, sua empresa, além de estar segura, conseguirá economizar muito com as isenções de taxas que essas instituições oferecem. Sem contar os serviços diferenciados que podem dar mais agilidade nos processos empresariais e melhorar seu controle financeiro, algo que, automaticamente, contribui para o crescimento sustentável do seu negócio.

Direito ao esquecimento

Você acredita que candidatos evangélicos são realmente ungidos de Deus ou são “ungidos” do pastor?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS