UNIRON: O jovem que seguiu na mesma área do seu Pai e virou docente

Evandro veio com a família para Rondônia em busca de um futuro melhor

UNIRON: O jovem que seguiu na mesma área do seu Pai e virou docente

Foto: Divulgação

Aos 34 anos, o egresso da UNIRON, Evandro Souza de Paula Cordeiro, conta com alegria que chegou em Porto Velho, no início dos anos 1990, ainda no colo da mamãe Edmara, acompanhado pelo pai Paulo José. Na ocasião,a família veio para a capital rondoniense, para acompanhar o avô paterno Irton, que afirmava que estavam vindo para o novo “Eldorado” brasileiro.
 
Evandro no colo da mamãe
 
O tempo foi passando e ao final do ensino médio, o jovem paulista, nascido em Guarulhos, estava com dúvida sobre a carreira que a seguir, tendo como única certeza, que gostaria de ter acesso rápido ao mercado de trabalho. A partir disso, se identificou com os Cursos Superiores de Tecnologia, e decidiu cursar Redes de Computadores na UNIRON.
 
Aos 18 anos, em 2005, iniciou a carreira no ensino superior, para se formar no primeiro semestre de 2007. Por conta disso, fez concurso público na prefeitura municipal para o cargo de Analista de Suporte e foi aprovado, permanecendo lá por 5 anos. Seu desligamento se deu por conta de uma nova aprovação em concurso público, com uma remuneração superior. 
 
Empolgado pela área da Tecnologia da Informação, no semestre seguinte à conclusão do seu curso, ingressou em Sistemas de Informação, cuja formação ocorreu em 2009. Paralelamente, ingressou na Pós-Graduação de Segurança de Redes e Sistemas Computacionais, concluído há cerca de 13 anos, também na UNIRON.  
 
Evandro conta emocionado, que seguiu na mesma área do seu papai, motivado pela admiração que sempre nutriu pelo seu genitor. Para sua alegria, no ano de 2008, por indicação do Professor Saulo Nascimento, iniciou a atuar profissionalmente na área.
 
Por conta do seu desempenho enquanto discente, foi convidado no ano de 2013, para atuar como docente, onde permaneceu até o ano seguinte. Sua saída se deu para que pudesse concluir um Mestrado. Já em 2015, o “bom filho retornou a casa”, onde permanece até os dias atuais, sempre atuando com dedicação e zelo.
 
Atualmente, está casado com a acadêmica Gigliane, cujo relacionamento iniciou há 19 anos atrás, e tem os filhos Enzo e Levi. Além disso, trabalha no Instituto Federal de Rondônia, há cerca de 8 anos, após ser aprovado em concurso público. Souza conta com satisfação que desta vez, estudava enquanto ministrava aulas na UNIRON.
 
 
Evandro com a esposa Gigliane e os filhos Levi (de óculos) e Enzo. 
 
De Paula relembra que foi aprovado em outros 2 processos, sendo um deles no Departamento Estadual de Trânsito – Detran e o outro, na Empresa Municipal de Desenvolvimento Urbano – EMDUR. Embora em ambos, as vagas tenham sido na sua área de estudo, preferiu abrir mão e continuar onde estava naqueles momentos.
 
Hoje, mais maduro, conta que antes de iniciar na academia, acreditava que entendia de Tecnologia da Informação. Tendo em vista as suas formações e toda sua vivência de mais de uma década, percebe a importância do aperfeiçoamento, e, hoje sabe,que seu conhecimento anterior era pequeno. 
 
Por isso, enaltece a necessidade de se dedicar em todas as disciplinas existentes no processo de formação, sejam práticas ou não, pois em algum momento serão úteis.
 
O Mestre Cordeirose sente grato à Deus pelas bênçãos recebidas, ao apoio dos familiares e aos Professores que lhe transmitiram o conhecimento e incentivo para o seu crescimento pessoal e profissional. Conforme faz questão de ressaltar, “agradeço aos docentes Hugo Viana, Gabriel Carrijo, Jacob Guarate, Nayme Petrus, Paulo Bacalhau, Saulo, pelo apoio, e aos coordenadores Autran e Renata, pelo incentivo e confiança. Espero que minha trajetória possa inspirar meus filhos a seguirem o caminho do bem e que possam ser profissionais de sucesso na área que vierem a escolher”.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS