RANKING FÚNEBRE: RO é o estado do Brasil com maior número proporcional de mortos pela COVID-19

Caso Rondônia fosse um país, seria a segunda nação do planeta em número total de mortos por cada milhão de habitantes

RANKING FÚNEBRE: RO é o estado do Brasil com maior número proporcional de mortos pela COVID-19

Foto: Divulgação

Dados apresentados pelo Ministério da Saúde,organizados pelo instituto de referências estatísticas Worldometer e divulgados pelo Poder 360, trouxeram um assustador ranking para a população rondoniense. Rondônia é o primeiro do Brasil na proporção de mortes por milhão de habitantes por conta da pandemia de COVID-19.
 
Caso Rondônia fosse um país, seria a segunda nação do planeta em número total de mortos por cada milhão de habitantes e ficaria atrás apenas do Peru, nação que possui uma média de 5.684 mortos por milhão. 
 
Os dados apontam que neste último sábado (19) Rondônia chegou à marca de 3.320 mortes por milhão de habitantes, um número que fica bem acima da média brasileira, que é de 2.347.  O brasil é o oitavo país nessa fúnebre lista. 
 
Estudo de caso
 
O pesquisador da Fiocruz do Rio de Janeiro, Raphael Guimarães, afirmou que Rondônia precisa ser utilizada como estudo de caso, uma vez que essa proporcionalidade em mortos e total de habitantes é preocupante. 
 
“Rondônia hoje é o estudo de caso de números absolutos não gritantes, mas que preocupam pela proporcionalidade. Os Estados do entorno também estão passando por uma situação complicada”, afirmou Raphael Guimarães.
 
 
 
 
Vacinação lenta 
 
Mesmo liderando o ranking das mortes, Rondônia está no fim da fila da vacinação entre os estados brasileiros com menos de 10% de sua população imunizada, fato que ainda segue levando medo de uma nova onda. 
 
Porém, esses dados parecem não terem sidos levados em consideração pelo governador Marcos Rocha (SEM PARTIDO), que mesmo assim decidiu liberar festas com até 999 pessoas, além de afrouxar diversas regras de prevenção à proliferação do vírus. 
 
Na capital, o prefeito Hildon Chaves (PSDB) utilizou de sua prerrogativa para anular o decreto estadual no município e estipular um limite de até 100 pessoas em eventos. 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS