BLOQUEIO: Movimento de mulheres de PMs fecha quartéis no interior de Rondônia

Em algumas cidades, elas decidiram não aguardar o resultado da reunião marcada para a segunda-feira (14) com o governo e radicalizaram

BLOQUEIO: Movimento de mulheres de PMs fecha quartéis no interior de Rondônia

Foto: Divulgação

 

O movimento de mobilização das esposas de policiais militares de Rondônia que reivindica um aumento nos vencimentos dos maridos começa a ganhar a adesão nas cidades do interior do estado.

 
A reunião ocorrida entre o Governo de Rondônia, na tarde da última sexta-feira (11), e representantes dos PMs, não resultou em um aceno favorável ao pedido dos policiais. As mulheres pedem 24% de aumento nos salários dos maridos e o governador Marcos Rocha, ofereceu 8% e a só a partir de janeiro de 2022. 
 
Nesse último encontro havia sido decidido, segundo uma parte das esposas, que uma nova rodada de negociações deverá ocorrer na próxima segunda-feira (14). Até lá, estava acordado que o movimento não iria fechar os quartéis. 
 
No entanto, o movimento rachou e uma parcela das mulheres não aceitou essa decisão e resolveu ser mais radical com o governo estadual e, além de acampar nas portas dos batalhões, resolveu impedir a entrada e a saída de viaturas.
 
 
Sem polícia
 
As primeiras cidades onde alguns quartéis foram fechados são Ji-Paraná e Jaru. Nessas, as mulheres se mobilizaram ainda na noite da última sexta-feira (11) e não permitiram mais a entrada e saída das viaturas policiais nessas unidades.
 
Em Ariquemes, as esposas dos PMs estão mobilizadas e prometem fechar, ainda neste sábado(12), o 7º Batalhão da cidade e todos os  grupamentos de Polícia Ostensiva, localizados no Vale do Jamari.
 
Na principal cidade do Cone Sul de Rondônia, Vilhena, as últimas informações são de que as mulheres dos militares estão concentradas na frente do quartel da PM no município. Elas afirmam que, por enquanto, só estão acampadas e pretendem aguardar o resultado da reunião de segunda-feira(14), com o governo estadual para decidir se radicalizam o movimento, fechando o quartel.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS