CALADO: Rosa Weber autoriza governador do Amazonas a não depor na CPI da COVID

Ministra do STF concedeu a Wilson Lima (PSC) o direito de escolher se comparece ou não à CPI da COVID e, se ele for, poderá ficar em silêncio

CALADO: Rosa Weber autoriza governador do Amazonas a não depor na CPI da COVID

Foto: Divulgação

A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu, no fim da noite da última quarta-feira (9) ao governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), o direito de escolher se comparece ou não à CPI da COVID. O depoimento de Wilson Lima está marcado para esta quinta-feira (10). 

 
Caso decida comparecer, ele poderá ficar em silêncio ou deixar o local, se entender que isso seja necessário para sua defesa. O governador também não precisará fazer o juramento de dizer a verdade, se decidir falar à comissão.
 
A defesa do governador do Amazonas acionou o STF contra a convocação nessa terça-feira (8). O argumento é de que a convocação de um governador é inconstitucional e viola o princípio da separação de poderes.
 
"A convocação do paciente Wilson Lima [...] afronta as cláusulas pétreas da forma federativa do estado e da separação de poderes, consubstanciando, ademais, violação de princípios constitucionais sensíveis relacionados à regra de não intervenção federal nos estados e no Distrito Federal, salvo nos casos excepcionais estabelecidos na própria Carta Magna", afirmou a defesa.
 
Wilson Lima foi convocado para ser questionado sobre temas como suspeitas de desvios de verbas que deveriam ter sido destinadas ao combate à pandemia de COVID-19; colapso no sistema de saúde do Amazonas; crise no abastecimento de oxigênio em hospitais; e oferta de cloroquina para pacientes com a doença.
 
Ele chegou a ser denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por suspeitas de desvios de recursos no estado. Wilson Lima nega as acusações.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS