VAZAMENTO DE DADOS: Consumidor deve ficar alerta para evitar cair em golpes na internet, recomenda advogado

“É preciso identificar o culpado para pedir indenização com base na Lei Geral de Proteção de Dados”

VAZAMENTO DE DADOS: Consumidor deve ficar alerta para evitar cair em golpes na internet, recomenda advogado

Foto: Advogado Luiz Flaviano Volnistem

 

Segundo o advogado Luiz Flaviano Volnistem,  quem tiver   informações  vazadas, precisa identificar o culpado para pedir indenização com base na Lei Geral de Proteção de Dados 

 
O ano de 2021 começou com graves ameaças à privacidade do consumidor brasileiro no universo digital.
 
Cidadãos, inclusive autoridades, e empresas foram surpreendidos recentemente com  vazamento de dados, que podem representar prejuízos, a quem for vítima dessa exposição.
 
 
 
Segundo, o advogado, Luiz Flaviano Volnistem que atua em Porto Velho no Escritório de advocacia Volnistem Advocacia especializado em Direito do Trabalho e Direito do Consumidor a situação é preocupante.
 
 
“Trata – se de algo muito grave porque, estamos tão vulneráveis ao ponto de ficar até complicado uma eventual defesa para quem cair nas armadilhas tão presentes no terreno do mundo digital”, constata o jurista.
 
 
Essa preocupação faz sentido porque a solução de tal  problema não está nas mãos apenas da justiça, mas também sob a responsabilidade do próprio cidadão, que precisa fazer o seu dever de casa, ou seja, proteger – se cada vez mais.
 
 
Dados roubados são vendidos para bandidos virtuais que utilizam os mesmos para aplicar golpes. Portanto, é preciso ter muita cautela diante de contato com quem está do outro lado da tela do computador ou do celular.
 
 
As informações vazadas são utilizadas geralmente para golpes conhecidos como  Phishing que  é a tentativa fraudulenta de obter informações confidenciais como nomes de usuário, senhas e detalhes de cartão de crédito, por meio de disfarce de entidade confiável em uma comunicação eletrônica.
 
 
Caso desconfie que seus dados foram vazados, o internauta deve tomar algumas medidas, segundo Luiz Flaviano. “É recomendável trocar senhas e logins  para proteger e-mails e contas em sites de compras”, recomenda ele para depois esclarecer :  “É preciso identificar o culpado para pedir indenização com base na Lei Geral de Proteção de Dados”.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS