BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

DA UNESC: Acadêmicos de Engenharia Ambiental estagiam em instituições públicas

Os estudantes também estagiam em instituições privadas

ASSESSORIA

21 de Outubro de 2020 às 17:44

Foto: Divulgação

Desde o final de agosto, acadêmicos do 10º período do curso de Engenharia de Produção oferecido pela Unesc na sua unidade em Vilhena participam do estágio curricular supervisionado. Trata-se de ato educativo supervisionado e obrigatório, desenvolvido no ambiente de trabalho, que visa à preparação para o trabalho produtivo dos acadêmicos da instituição.
 
À frente do programa de estágio está a professora da Unesc, Calina Grazielli Dias Barros. Os acadêmicos de Engenharia Ambiental estão estagiando em órgãos públicos como a Secretaria de Estado do Desenvolvimento Ambiental (SEDAM), Secretaria Municipal de Meio Ambiente de Vilhena (SEMMA), o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) e na Secretaria Municipal de Turismo e Meio Ambiente de Pimenteiras do Oeste e em empresas privadas como a MFM Soluções Ambientais, G K Engenharia Civil e Ambiental, Evolução Consultoria em Segurança do Trabalho e Proteção Soluções em Segurança do Trabalho.
 
O estágio faz parte do Projeto Pedagógico do curso de Engenharia Ambiental da Unesc, que além de integrar o itinerário formativo do discente, promove o aprendizado de competências próprias da atividade profissional, objetivando o desenvolvimento do estudante para a vida cidadã e para o trabalho.
 
 “O estágio supervisionado é importantíssimo na formação dos discentes do curso de Engenharia Ambiental, pois nessa etapa de aprendizagem os alunos são preparados para enfrentar os desafios da carreira escolhida. O estágio se torna uma possibilidade de fazer uma relação entre teoria e prática. É nesse momento que o acadêmico tem a possibilidade de conhecer a realidade da profissão que optou para desempenhar. Uma oportunidade que proporciona ao estudante a compreensão do que tem estudado e começa a fazer a relação com o cotidiano do seu trabalho”, destacou a coordenadora do estágio, professora Calina.
 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS