BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

UNESC 35 ANOS: Diretor do Ifro fala sobre as conquistas que a Unesc trouxe para sua vida

Graduado em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP), em 2001 Davys cursava o Mestrado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Paulo (UFSCAR), quando um anúncio de jornal chamou sua atenção

ASSESSORIA

11 de Março de 2020 às 16:40

Foto: Divulgação

Na semana em que completa 35 anos em Rondônia, a Unesc recebeu a visita do diretor do Instituto Federal de Rondônia - Campus de Cacoal, Davys Sleman de Negreiros que, em conversa com os diretores da instituição, Natividade Cury e Antônio Carlos Nascimento, relembrou um pouco da sua trajetória e da sua vinda à Rondônia.

 

Graduado em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo (USP), em 2001 Davys cursava o Mestrado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de São Paulo (UFSCAR), quando um anúncio de jornal chamou sua atenção.

 

“Num dia comum eu peguei a Folha de São Paulo para ler quando vi o anúncio de que uma faculdade do interior de Rondônia estava contratando um sociólogo. Essa faculdade era a Unesc e eu resolvi arriscar. Enviei o currículo em uma sexta-feira e na segunda a professora Native me ligou, propondo que eu viesse conhecer a instituição. Eu vim e assim começou a minha história como rondoniense”, destaca.

 

No dia 5 de fevereiro de 2001, aos 24 anos de idade, Davys Negreiros chegou em um voo no avião Fokker 100 da TAM no aeroporto de Ji-Paraná. Na noite do dia seguinte, ele já estava em sala, ministrando sua aula aos alunos do 5º período do curso de Pedagogia da Unesc. “Esse foi o meu primeiro emprego, eu não tinha sequer carteira de trabalho. Em um dia providenciei toda a documentação e já iniciava a minha jornada no ensino, como professor, em uma cidade que até então eu nem sabia que existia”, brinca.

 

Davys lembra também alguns detalhes que o fizeram ter certeza de que Cacoal era a sua cidade. “Na primeira semana de aula, no domingo, eu fui passear na feira para tomar um caldo de cana e comer um pastel e no trajeto da feira encontrei muitos alunos que eram feirantes e ganhei muitos presentes. Saí da feira com 32 sacolas, de frutas, legumes e diversos outros presentes que ganhei. Me senti acolhido. Senti que aqui era mesmo o meu lugar”.

 

E a importância da Unesc na vida do jovem professor não para por aí. “Deus colocou o anuncio da vaga para sociólogo na minha frente, pois era mesmo para eu vir pra cá. Quinze dias trabalhando na Unesc, conheci a mulher da minha vida, na sala dos professores da faculdade. Ou seja, toda a minha trajetória em Cacoal, tanto profissional como pessoal, se deve à oportunidade que a Unesc trouxe para a minha vida”, enaltece.

 

A mulher de sua vida, Simone Patrícia Negreiros, também foi professora na instituição. Um ano após os dois se conhecerem, estavam casados. Hoje formam uma linda família cacoalense, sendo pais da jovem Maria Eduarda, de 17 anos e da pequena Maria Victória, de 11 anos.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS