BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

CAPACITAÇÃO TAMBÉM É PAUTA: Energisa inaugura sala de amamentação para garantir equidade às mulheres

Para gerente de gestão de pessoas, Silvana Santos, estratégia permite que profissionais disputem oportunidades em condições de igualdade e mulheres alcancem vários postos na empresa

ASSESSORIA

10 de Março de 2020 às 15:35

Foto: Divulgação

A Energisa Rondônia inaugurou nesta segunda-feira (9), na sede em Porto Velho, a sala de amamentação. A iniciativa, que já existe nas distribuidoras do grupo em outros estados, visa dar maior conforto e tranquilidade para as profissionais que retornam da licença maternidade. Conversamos com a gerente de gestão de pessoas, Silvana Santos, para conhecer as políticas para mulheres do grupo, 5° maior do setor elétrico brasileiro. Com quase 20 mil empregados em todo o país, mulheres em todos os níveis e reconhecido como uma das melhores empresas para se trabalhar no país, Silvana destaca as oportunidades para as mulheres na Energisa, inclusive nos cursos de capacitação para técnicos eletricistas. 

 

Qual a importância da sala de amamentação? 

 

Silvana: O objetivo da sala de amamentação é deixar as mães mais tranquilas e confortáveis no retorno ao  trabalho. De imediato, a sala deve beneficiar três colaboradoras, uma que já está amamentando e outras duas que estão grávidas. É uma ação importante porque, após a licença maternidade, há um período que a mãe mesmo no trabalho pode continuar amamentando o seu filho, e dando todo o carinho que ele merece e, para que ela e o bebê fiquem à vontade, é oferecida essa sala.

 

A Energisa mantém alguma política voltada à contratação de mulheres? Algo como uma cota, por exemplo?

 

Silvana: Em uma entrevista de emprego, a gente nunca avalia o candidato ou a candidata pelo gênero, primamos pela competência e pelo potencial. Aqui todos os cargos são disputados de igual para igual. Não há limite nem favorecimento a ninguém, há apenas oportunidade e as mulheres estão aproveitando estas experiências. Exemplo disso é que temos mulheres na vice-presidência, como a Daniele Salomão, que é exemplo para todas as demais colaboradoras, em diretorias, gerências, coordenações e supervisões. 

 

E em campo, trabalhando na ponta com as demais equipes, como eletricistas ou técnicas, há mulheres?

 

Silvana: Com certeza. Ainda são poucas, até porque esse é um campo que sempre foi ocupado por homens, mas já temos algumas e incentivamos muito as mulheres a fazerem cursos técnicos em eletrotécnica e também o programa de formação de eletricista, através da Escola de Energia, que a empresa tem em parceria com o SENAI.

 

E como a empresa trata a questão da relação homem-mulher, para prevenir assédios e abusos no relacionamento profissional?

 

Silvana: Tratamos essa questão com muito rigor, através de nossas políticas de gestão de pessoas e código de ética. Na admissão dos profissionais, a Energisa realiza a Integração Institucional, divulgando nossas diretrizes, destacando missão, visão, os valores e o código de ética. Também mantemos canais de denúncia para registrar e apurar qualquer tipo de assédio ou falta de respeito entre os colaboradores. O monitoramento é um trabalho que é realizado diariamente para garantir um ambiente de trabalho saudável, que fortaleça relações pautadas em transparência e respeito.

 

Há diferença no treinamento para homem e para mulher?

 

Silvana: Segurança é nosso principal valor. A Energisa fornece todos os treinamentos e capacitações necessários para o desempenho das atividades no dia-a-dia. O treinamento são realizados a todos os colaboradores. No que se refere às mulheres, ao contrário do que se pode pensar, há muitos elogios. No treinamento de Off Road, por exemplo, há relatos de que as mulheres são mais cuidadosas, tanto na segurança como na utilização do veículo e no consumo de combustível.

 

A senhora foi uma dessas mulheres que buscou novas oportunidades na Energisa?

 

Silvana: Com certeza. Ingressei no quadro da Energisa em 2015. À época morava em Goiânia e trabalhava em uma multinacional do ramo de refrigerantes, mas, assim que a Energisa adquiriu a Energisa Mato Grosso do Sul, deixei meu antigo emprego e participei do processo seletivo. Fui bem sucedida e, por quatro anos, atuei na concessionária dando apoio inclusive a Energisa Sul Sudeste, onde também colaborei por um ano. As oportunidades não pararam, cheguei a Porto Velho no final de janeiro de 2019 e hoje tenho um grande desafio, que é contribuir para a formação de um setor energético forte e que gere oportunidades no estado. Sou muito realizada por ter a oportunidade de estar em uma das melhores empresas para se trabalhar no Brasil.

 

A senhora sempre trabalhou na área de gestão de pessoas?

 

Silvana: Tenho experiência de 29 anos na Gestão de Recursos Humanos. Comecei na administração de pessoal como assistente de ponto, passei por todas os subsistemas que competem a gestão de pessoas. Sou formada em Matemática, mas tenho vários cursos nessa área, pela qual sou apaixonada. Fiz pós-graduação em Gestão de Pessoas e Marketing, MBA em Gestão de Pessoas por Competência e Coaching, mestrado em Gestão Estratégica e Recursos Humanos. Atualmente estou matriculada no MBA Psicologia Positiva, Ciência do Bem-Estar e Auto realização pela PUC-RS. Qualquer profissional hoje precisa estar sempre buscando se aprimorar. É o que eu faço na gestão da minha própria carreira. 

 

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS