BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

AÇÃO: Unesc homenageia mulheres acadêmicas com música e “momento beleza”

Durante o intervalo da noite de sexta feira (06), houve no saguão da Unesc, uma apresentação de violino da acadêmica do terceiro semestre do curso de Direito, Luana Cabral Vieira Cardozo, de 19 anos, que foi convidada pela direção para expor seu talento

ASSESSORIA

09 de Março de 2020 às 15:37

Foto: Divulgação

 Unesc de Vilhena fez uma homenagem singela às acadêmicas, professoras e funcionárias da instituição em Vilhena pela passagem do Dia Internacional da Mulher. Música clássica e, como não poderia faltar, um “Momento Beleza” deram o tom da homenagem.

 

Durante o intervalo da noite de sexta feira (06), houve no saguão da Unesc, uma apresentação de violino da acadêmica do terceiro semestre do curso de Direito, Luana Cabral Vieira Cardozo, de 19 anos, que foi convidada pela direção para expor seu talento. Luana começou a aprender violino em 2015 e já faz parte da Orquestra Sinfônica de Vilhena. Entre as obras apresentadas por Luana, estão: “Bourrée de G. F. Handel”, “Elves Dance” e “Concertino em G, op 11 mov 1 de F. Kuchler”.

 

A ideia foi levar um pouco de música de qualidade para lembrar de um dia especial para todas as mulheres que buscam um espaço no mercado de trabalho por meio de uma profissão de nível superior.

 

Enquanto Luana se apresentava, Aline Leme e Letícia Luque, filhas de duas colaboradoras da instituição, maquiavam professoras e colaboradoras da Unesc que trabalham no setor administrativo. Foi o chamado “Momento Beleza”, que também proporcionou um pouco de alegria e descontração às mulheres da Unesc.

 

Segundo a coordenadora geral da Unesc de Vilhena, Anny Cury, essas iniciativas deveriam acontecer todos os dias nas vidas das mulheres. “Por tudo o que representamos na história da humanidade e, principalmente, pelo valor que temos nessa profissão de educadoras, nada mais justo a Unesc nos homenagear com boa música e por que não, um momento beleza, como todas as mulheres merecem, pontuou a educadora.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS