BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

USO IRRACIONAL: “A indústria farmacêutica não quer você curado da doença”, afirma médico

“A incidência de mortes relacionadas ao uso abusivo de medicamentos como o Rivotril, Lorax, Frontal, Xanax e Valium apontam ser maior do que as mortes em decorrência do consumo de drogas ilícitas, a exemplo da cocaína”, diz o especialista.

@blogdepontacabeca

04 de Março de 2020 às 11:08

Foto: Divulgação

“Nos últimos cinco anos, a venda de remédios no Brasil teve um aumento de 42%, mostrando um consumo desenfreado dessas drogas por parte da população”, declarou o médico Ricardo Fernandes, que atua com Medicina Preventiva e Integrativa em João Pessoa.

 

“Pesquisas apontam que os remédios estão sendo tratados como bens de consumo, sem uso racional”, destacou.
 

O médico explica que levantamento feito pela Anvisa - Agência Nacional de Saúde, mostra que o brasileiro consome cerca de 700 doses de remédios por ano. “Ainda segundo a agência, essa prática já passou a fazer parte da cultura nacional. Temo que frear esse consumo”, disse.

 

Rivotril

 

Ricardo Fernandes afirma ainda que a incidência de mortes relacionadas ao uso abusivo de medicamentos como o Rivotril, Lorax, Frontal, Xanax e Valium, dentre outros usados com a mesma finalidade, apontam ser maior do que as mortes em decorrência do consumo de drogas ilícitas, a exemplo da cocaína.

O especialista declara que esses dados resultaram da pesquisa coordenada pelo médico psiquiatra americano Marcus A. Bachhuber, cujo resultado foi publicado no American Journal of Public Health em 2016.

 

Indústria farmacêutica

 

“Fico triste em saber que a indústria farmacêutica tem grande poder sobre os médicos que atuam com a Medicina tradicional, fazendo com esses profissionais não tratem o problema de saúde do paciente em definitivo, mas apenas  de forma paliativa. Eles não  buscam a cura, fazendo com que o paciente fique na  dependência dos medicamentos por  toda a vida”, pontuou.

 

Para ele, a partir do momento que as pessoas se conscientizarem de que é preciso curar a causa da doença e não apenas os sintomas, elas terão muito mais qualidade devida.


Angústia

 

“Você sabe a causa que faz você sofrer de ansiedade, de angústia, de tristeza e provoca alterações do sono? Lembre-se, se não tratar a causa, ficará sempre na dependência de medicamentos”, finalizou o médico.

 

Emília Araújo – jornalista profissional

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS