BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Adolescente assassinado havia saído de Vilhena para passar dias com mãe

Ele está em Colorado do Oeste aguardando a liberação do corpo do filho Leonardo Emerson Pecorari, de 15 anos.

Folha do Sul On Line

03 de Abril de 2017 às 10:22

Foto: Divulgação

Pai disse que apenas uma pessoa era alvo dos autores da chacina

O FOLHA DO SUL ON LINE acaba de entrevistar, por telefone, o servidor estadual Hélio Pecorari, morador de Vilhena, lotado na Escola Marechal Rondon e pai de um dos garotos assassinados a tiros na cidade de Cabixi na madrugada desta segunda-feira, 03. Ele está em Colorado do Oeste aguardando a liberação do corpo do filho Leonardo Emerson Pecorari, de 15 anos.

VEJA MAIS:

VIOLÊNCIA - Chacina deixa cinco mortos

Segundo Hélio, o garoto e suas duas irmãs estavam morando com ele em Vilhena. Cerca de um mês atrás, Leonardo foi passar alguns dias com a mãe, em Cabixi. O servidor da educação admite que o filho tinha envolvimento com drogas.

O pai relata que, conforme ouviu de pessoas que acompanham o caso, os homens que executaram a queima-roupa o grupo de jovens teriam a intenção de matar apenas uma pessoa. “Mas, como estavam todos juntos, morreram junto com o verdadeiro alvo da ação”, contou, sem revelar quem seria a pessoa visada pelos autores da chacina, que segundo as últimas informações eram três e não quatro, como se divulgou inicialmente. Os assassinos não retiraram os capacetes e, portanto, não foram identificados.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS