BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Primeira mão - Mais numa farra para o provão pagar: O aumento no número de vereadores – Por Sergio Pires

Primeira mão - Mais numa farra para o provão pagar: O aumento no número de vereadores – Por Sergio Pires

Da Redação

27 de Setembro de 2011 às 08:52

Foto: Divulgação

Alguém aí, de são consciência e que não tenha interesse direto no assunto, acha correto que as Câmaras Municipais de Vereadores aumentem suas cadeiras? Para que? Qual o interesse da população em bancar mais essa farra dos políticos? Essa gente que se arvora representante do povo quando procura votos, muda de lado tão logo consiga se eleger, na maioria dos casos. É uma verdadeira metamorfose, de Dr. Jeckel, o médico bondoso e competente, para Mister Hyde, o monstro que aparece cada vez que ele ingere sua fórmula mágica. Para a maioria dos políticos, a poção transformadora é o dinheiro, que jorra em abundância para quem está no poder. Qualquer poder. E enriquecem, enquanto aqueles que lá os colocaram, clamam por saúde de qualidade, por uma educação que não permita que seus filhos tornem-se idiotas dentro das salas de aula; por uma segurança pública que ao menos puna quem comete crimes. Ouvem o povão? Nada disso. A meta, o alvo principal, o mandato é dedicado, em sua grande parte, para tratar de interesses pessoais ou de grupos; de aumentar os próprios salários; em criar aparatos imorais – mas legais, geralmente – para que o dinheiro que falta para a massa do povo, vá para o bolso deles.
Os exemplos do verdadeiro tapa na cara que a legislação permite – claro que criada por eles, por seus parceiros, por aqueles com quem vão repartir, de uma forma ou outra, o enorme lucro que a política gera – estão espalhados em todo o país. Cidades onde não há nada, nem o básico, para atender a população, têm suas Câmaras de Vereadores aumentadas. Porto Velho terá cinco cadeiras a mais. Se com 16 o legislativo municipal já é inoperante, quase inútil, para que termos 21 vereadores? A classe política, ansiosa por tratar da própria vida, pode estar cavando o poço onde poderá ser jogada. Um dia, o povo vai encher o saco de ser enganado. Daí, será tarde demais para corrigir tantos erros absurdos.
MAIS GREVE
Atenção rondoniense: você que está com o saco cheio da greve dos Correios, que afeta sua vida diretamente, prepare-se para notícias ainda piores. A partir desta terça-feira, se não houve avanço nas negociações nos últimos três dias, os bancários param de novo. Ou seja, vai começar um novo inferno em que só a população que precisa desses serviços é queimada nas labaredas.
RISCO FUTURO
Outra greve, a da Unir, também continua. Mas essa não afeta a gente no dia a dia, embora seja perigosa para o nosso futuro. Quando uma universidade federal é abandonada, seus professores e alunos estão atirados à própria sorte, é porque estamos numa terra onde a educação é só prioridade nos discursos oficiais.
SÓ AGORA!
O professor Ari Ott, ex-reitor da Unir, profundo conhecer do assunto, escreveu longo artigo explicando os porquês da greve da instituição. Está muito bem embasado, pena que longo para ser resumido aqui. Mas, já na abertura do texto, pode-se imaginar o que vem pela frente: “O que mais impressiona nesta greve de professores e estudantes da UNIR, não é tanto que ela tenha sido decidida agora, mas que somente agora ela tenha sido decidida”. 
DENÚNCIAS GRAVES
São graves, pesadas e merecedoras de profunda investigação, as denúncias feitas pelo Procurador Geral do MPF, Reginaldo Trindade, sobre a presença do crime organizado nas fronteiras de Rondônia mas, pior ainda, contra a omissão do governo em proteger áreas indígenas, principalmente onde há riquezas imensas, como a Reserva Roosevelt.
COBIÇA
Trindade relatou a situação crítica pela qual vivem os índios Cinta Larga e ressaltou que a indigência da tribo é grande. Segundo o Procurador, além da situação crítica em saúde, educação, infraestrutura, a maior problemática dos Cinta Larga está nas terras onde eles habitam. Há uma grande cobiça pelo território.
DIAMANTES ROUBADOS
Mesmo com a União, via Polícia Federal, garantir que o território indígena está protegido, a própria Abin, órgão que trata de informações sigilosas no governo e até o serviço de inteligência da Polícia Federal, estimam que 20 milhões de dólares de diamantes da Roosevelt saem ilegalmente do País todos os meses.
RONDÔNIA PERDE
Se ainda não saiu, deve estar saindo esta semana a decisão judicial que vai tirar o mandato do deputado federal Lindomar Garçon, do PV. Uma ação em que a deputada Daniela Amorim, que fazia parte da coligação, perdeu na Justiça e não recorreu, tirou 25 mil votos da aliança que elegeu Garçon. Rondônia perde muito no Congresso, já que Garçon tem sido um parlamentar entre os que mais batalham recursos para o Estado.
ACIR FORTALECIDO
Ao sair a decisão de troca de cadeiras na Câmara Federal, deve assumir o jovem Marcos Rogério, de Ji-Paraná. Ganha o grupo liderado pelo senador Acir Gurgacz. Marcos Rogério, vereador em sua cidade, tornou-se conhecido como homem de televisão no grupo de comunicação da família Gurgacz.
PERGUNTINHA
Até quando o povão vai aceitar passivamente ser tratado como lixo durante as inúmeras greves que pululam todas as semanas?
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS