BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Vereador denuncia farra no uso de diárias e telefonia celular pela Prefeitura de Guajará-Mirim

Audir explica que no período de março de 2005 até junho de 2007 a Prefeitura gastou em telefonia celular aproximadamente R$ 500 mil, algo que nem de longe se compara ao que teria gasto a administração anterior

Da Redação

25 de Setembro de 2008 às 12:12

Foto: Divulgação

Inconformado com a completa falta de atuação da Câmara Municipal contra o prefeito Dedé de Melo (PSDB), o vereador José Audir dos Santos (PMDB) resolveu fazer, por conta própria, um levantamento dos gastos da Prefeitura de Guajará-Mirim e conseguiu descobrir o que ele chama de um verdadeiro escândalo na utilização dos serviços de telefonia celular e na distribuição de diárias. Audir explica que no período de março de 2005 até junho de 2007 a Prefeitura gastou em telefonia celular aproximadamente R$ 500 mil, algo que nem de longe se compara ao que teria gasto a administração anterior, do ex-prefeito Cláudio Pilon. “Além de seus próprios aparelhos, o prefeito e cada um dos secretários municipais têm um outro aparelho com as contas pagas pela Prefeitura. Até onde eu saiba, não existe lei que permita que este tipo de serviço seja pago com dinheiro público”, detalhou o vereador. Audir também menciona que de março de 2005 até junho de 2007 a Prefeitura teria gasto R$ 975 mil em pagamento de diárias e, segundo uma projeção feita por ele mesmo, até setembro deste ano a administração Dedé de Melo já teria gasto mais de R$ 1 milhão só em distribuição destas diárias. “O pior é que quem usufruiu deste benefício foram o prefeito e os secretários, enquanto que quem deveria receber mesmo, os servidores, a exemplo dos motoristas de ambulâncias que fazem o transporte de pacientes para Porto Velho, estão desde janeiro sem receber diárias”, descreve. O vereador disse ainda que a mesma “farra” de diárias e telefonia celular vem ocorrendo na própria Câmara de Vereadores que, segundo ele, teria a maioria dos vereadores como aliados de Dedé de Melo. “Eu havia feito estas denúncias em plenário e sugeri a criação de uma comissão para investigar estas irregularidades. No entanto, ninguém deu a mínima e fizeram vista grossa para este caso. Como se pode ver, somente eu e o vereador Mário César (também do PMDB), somos os únicos de oposição ao prefeito. O restante tem o rabo preso com a Prefeitura”, disparou. A reportagem tentou falar com Dedé de Melo por telefone, mas o aparelho celular do prefeito estaria desligado.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS