BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Final de semana com duelo em Guajará Mirim ? Começa o Festival Folclórico

Final de semana com duelo em Guajará Mirim ? Começa o Festival Folclórico

Da Redação

10 de Agosto de 2007 às 16:30

Foto: Divulgação

*Valendo um título (o deste ano) e meio (de 2004 que terminou empatado), Flor do Campo e Malhadinho fazem o Duelo da Fronteira neste final de semana durante o XI Festival Folclórico de Guajará-Mirim, com previsão de 20 mil espectadores para as três noites. *De vermelho e branco o Flor do Campo abre o Festival na noite de sexta-feira, 12, com o tema ?Mitos e Lendas das Águas de Rondônia?. O bumbá que nasceu com o nome de Formosinho em 1981 na Escola Almirante Tamandaré, pelas mãos da professora Georgina Ramos da Costa, vai em busca do pentacampeonato ? foi campeão em 1999, 200, 2001 e 2003. *Já o Malhadinho, se apresenta no sábado com o tema ?Malhadinho ? Uma Revoada de Amor?. O bumbá foi criado em 1986 pelo seu atual presidente Leoniso Muniz de Souza e pelo sr. Aderço Mendes da Silva com as cores preto e branco, vai novamente de azul e branco, agora sua versão definitiva e quer voltar a fazer as pazes com o título depois de dois campeonatos seguidos, em 1997 e 1988. *FLOR DO CAMPO *Quando criado em 1981, o Flor do Campo teve um grupo de apoiadores, além da professora Georgina também os professores Ermelo Mito e Valdecy Santos Paes, além da tia Milu e da dona-de-casa Maria de Nazaré. *A carcaça do boi foi confeccionada por cipós, pano, cola, papelão, jornal, cordões, material de sucata, etc. Apresentou-se nas primeiras vezes com o nome de Formosinho, malhado nas cores branco e preto. *Mais tarde dona Georgina batizou o boi-bumbá com o nome de Flor do Campo, tirado de um similar em sua cidade natal, Itaituba, no interior do Estado do Pará. Depois recebeu as cores que mantém até agora, em vermelho e branco. *MALHADINHO *O boi-bumbá Malhadinho foi o resultado de conversas entre amigos, quando decidiram lançar uma nova opção no mundo folclórico da Pérola do Mamoré, ganhando logo vários adeptos e concorrendo com o ?contrário?. *Sua primeira carcaça foi confeccionada com materiais como prego, veludo, compensado, madeira, cipó e tecido. As fantasias eram compostas de papel, lantejoulas, papelão e outros materiais dos tipos usados até agora. *Como o ?contrário?, o Malhadinho esteve presente em todas atividades embrionárias que permitiram a criação e a afirmação do Festival.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS