BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

BRASILEIRÃO: Ji-Paraná garante vitória no jogo de ida contra o Nacional com dois gols

Whatimen foi o autor dos dois gols do Galo da BR. Jogo de volta acontece no dia 13 de setembro, em Manaus

FUTEBOL DO NORTE

08 de Setembro de 2020 às 10:17

Foto: Divulgação

O Ji-Paraná venceu na tarde deste domingo o Nacional por 2 a 1 no estádio Biancão, em Ji-Paraná, e largou na frente na fase preliminar da Série D do Campeonato Brasileiro 2020.

Os gols da vitória do Ji-Paraná foram marcados por Watthimen (duas vezes), enquanto que Jackie Chan descontou para o Nacional.

Com o resultado, o Ji-Paraná joga por um simples empate para poder classificar para a primeira fase da Série D do Campeonato Brasileiro 2020. Já Nacional precisa vencer por mais de um gol para chegar à próxima fase.

Caso o Leão vença por um gol de diferença ele garante vaga na próxima fase. As duas equipes voltam a se enfrentar no domingo, às 16 horas (horário de Brasília), na Arena da Amazônia, em Manaus.

O jogo - O Ji-Paraná entrou em campo em busca da vitória. Gabriel Marabá saiu livre em velocidade e finalizou em cima do goleiro Lucão, que salvou o Nacional. Na sequência, Gabriel Marabá finalizou da entrada da área, mas o goleiro Lucão fez outra grande defesa. No final da primeira etapa, Kabrine finalizou de fora da área, mas Lucão colocou para escanteio.

Na volta do intervalo, o Ji-Paraná buscou pressionar o adversário em seu campo de defesa. Aos cinco minutos, Watthimen foi derrubado na área pelo goleiro Lucão e o árbitro Andrey da Silva e Silva assinalou a penalidade. Na cobrança, Watthimen bateu com categoria e abriu o placar. Aos 17', Carlinhos teve a oportunidade do empate, mas o goleiro Dida salvou. Na sequência, a bola bateu na mão do lateral Romão e o árbitro marcou a penalidade. Watthimen finalizou e fez o segundo. Na sequência, Raphael Carioca chutou, o goleiro Dida espalmou e o atacante Jackie Chan escorou para o fundo das redes, descontando para o Naça. Nos minutos finais, o Nacional pressionou, mas o placar seguiu inalterado. 

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS