BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

SUSPENSO NA 7ª RODADA: Confira números que detalham o Campeonato Rondoniense até a paralisação

Decisão tomada pela federação e pelos clubes é que o Estadual será retomado apenas em novembro

FOLHA DO SUL ONLINE

14 de Maio de 2020 às 09:41

Atualizada em : 14 de Maio de 2020 às 10:10

Foto: Divulgação

O Campeonato Rondoniense foi suspenso na sua sétima rodada por causa da pandemia do Coronavírus. Enquanto a bola rolou, boas histórias foram protagonizadas como a vitória do Guajará por 3 a 1 sobre o Real Ariquemes em pleno Gentil Valério na rodada de abertura do Estadual; ou a virada impressionante do Atlético Pimentense sobre o Barcelona quando perdia por 2 a 0 e venceu por 3 a 2.
 
Federação e clubes decidiram que o campeonato somente será retomado em novembro e com apenas sete clubes, já que Guaporé, Guajará, Barcelona e Rondoniense abriram mão da sequência do campeonato. 
 
Enquanto a bola não rola, o Folha do Sul fez uma raio-x do estadual até agora e trás ao leitor os números que mostram a classificação por grupo e geral, qual clube tem o melhor ataque, quem apresenta a pior defesa; as equipes mais indisciplinadas e a média de gols por partida no Rondoniense 2020.
 
CLASSIFICAÇÃO POR GRUPO
 
O Grupo A é liderado pelo Porto Velho que tem 14 pontos e é o único já assegurado na semifinal da competição. Fechando o G2 do Grupo A está o Real Ariquemes que tem 12 pontos e está a um empate de avançar à semifinal. Com 4 pontos, o Genus, mesmo com um jogo a menos que o Real, tem chance mínima de classificação. Rondoniense e Guajará desistiram.
 
Pelo Grupo B a briga pela classificação está entre Vilhenense, que tem 14 pontos; Ji-Paraná que soma 13 pontos conquistados; e União Cacoalense que tem 12. Ainda na disputa, Atlético Pimentense não tem mais chances de classificação. Barcelona e Guaporé estão fora da disputa.
 
CLASSIFICAÇÃO GERAL
 
Se olharmos a classificação geral vemos Porto Velho e Vilhenense dividindo a liderança com 14 pontos cada; seguidos por Ji-Paraná com 13 pontos na terceira colocação. Com 12 pontos cada, Real Ariquemes e União Cacoalense ocupam a quarta e quinta colocações. Com 6 pontos, o Atlético Pimentense é o sexto na classificação geral. A sétima e oitava posições são ocupadas por Barcelona e Guaporé que têm 5 pontos cada. E nas três últimas colocações, com 4 pontos cada, estão Genus, Guajará e Rondoniense.
 
MÉDIA DE GOLS E MELHOR ATAQUE
 
Até a sétima rodada foram marcados 71 gols em 35 jogos, resultando numa média de pouco mais de dois gols por partida. O Ji-Paraná é o dono do melhor ataque com 10 gols marcados e tem ainda um dos artilheiros da competição, Watthimen, que já balançou as redes quatro vezes. Porto Velho e Vilhenense têm o segundo melhor ataque com oito gols cada. O diferencial é que enquanto no Vilhenense metade dos gols foi marcada por Ariel, no Porto Velho cada um dos oito gols foi marcado por um jogador diferente.
 
MELHOR E PIOR DEFESA
 
Se o Porto Velho é democrático na hora de balançar as redes, o mesmo se mostra no momento de se defender. O Locomotiva é dono da melhor defesa tendo levado apenas um gol no Estadual em seis jogos. União Cacoalense e Real Ariquemes têm a segunda melhor defesa.
Os goleiros desses clubes foram buscar a bola no fundo das redes em apenas três ocasiões até a sétima rodada.
 
ARTILHARIA
 
Nos 35 jogos disputados até a suspensão, 71 gols foram marcados por 54 jogadores diferentes, sendo que um deles foi contra, o do zagueiro Júnior Porto, do Guaporé. Dois jogadores dividem a artilharia, Ariel do Vilhenense, e Watthimen do Ji-Paraná, ambos marcaram 4 gols. Três jogadores dividem a segunda colocação com três gols cada: Raí do Real Ariquemes, Matheus do Barcelona, e Marquinhos do Atlético Pimentense.
 
Com dois gols estão Alesson e Xana do Rondoniense; Marcos Malta do Genus; Maranhão do Ji-Paraná; e Marco Aurélio, que já não está mais no Guaporé. Outros 40 jogadores marcaram um gol cada.
 
PÚBLICO A RENDA
 
O público média do Estadual 2020 é de 405 torcedores. Mas, individualmente não teve pra ninguém, o União Cacoalense desbancou os adversários e tem dois dos três melhores públicos do estadual. A média da Raposa por jogo é de mais de 1.000 torcedores. Segundo análise das súmulas, em quatro jogos o União levou 4.242 torcedores ao Aglair Toneli; o que lhe rendeu uma renda líquida de quase R$ 45 mil. O Ji-Paraná é quem mais se aproxima do União. O Galo já levou ao Biancão 2.723 o que gerou uma renda líquida de mais de R$26 mil.
 
Guaporé com R$ 10.066,52; Atlético Pimentense com R$ 2.858,76, e Guajará com R$ 616,10, também registraram algum lucro.
 
No entanto, os outros seis clubes amargaram prejuízos em seus jogos como mandante. O maior rombo quem sofreu foi o Porto Velho que em quatro jogos teve presença de público em apenas uma partida que foi assistida por 69 pagantes, que gerou um prejuízo de mais de R$ 10 mil. O Real Ariquemes é o segundo a lista de prejuízos em jogos como mandante, a venda de ingressos nos três jogos em casa não cobriu as despesas e deixou um rombo de mais de R$ 6 mil. 
 
O mesmo aconteceu com Genus e Rondoniense que acumulam prejuízos que superam R$ 5 mil cada. E finalizando a listas dos clubes com prejuízos como mandantes, o Barcelona, que conseguiu levar uma média de apenas 219 torcedores em seus jogos no Portal da Amazônia, amargou prejuízo de mais de R$ 2 mil.  
 
A REGRA É CLARA
 
Com base nas análises das súmulas, listamos quais são as equipes mais disciplinadas e quais exigiram mais da arbitragem. A saber, foram anotados 24 cartões vermelhos e 208 amarelos nas 35 partidas disputadas até a suspensão do Rondoniense 2020.
 
Três equipes receberam metade dos cartões vermelhos: Barcelona, Guajará e Vilhenense registraram quatro expulsões cada. O Guaporé teve três expulsões; seguido por Ji-Paraná, União Cacoalense e Rondoniense que tiveram duas expulsões cada. Enquanto Porto Velho, Real Ariquemes e Genus tiveram uma expulsão cada. O Atlético Pimentense é o único clube que não teve nenhum atleta expulso.
 
Quando se fala em cartões amarelos, o Vilhenense lidera isolado com 31 advertências. Sete delas foram anotadas em uma única partida, contra o União Cacoalense na sexta rodada. Atlético Pimentense e Guaporé receberam 22 cartões amarelos cada, enquanto o Guajará recebeu 21 cartões amarelo. Três clubes: Ji-Paraná, União e Barcelona foram amarelados 18 vezes cada. Real Ariquemes com 17; Porto Velho com 15; Rondoniense com 14; e Genus 12; fecham a lista.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS