ESPAÇO ABERTO: Extinção de Comissão voltada ao Covid-19 gera bate boca na Câmara de Porto Velho

ESPAÇO ABERTO: Extinção de Comissão voltada ao Covid-19 gera bate boca na Câmara de Porto Velho

Foto: Divulgação

EXTINÇÃO
 
Atendendo pedido do médico e vereador Macário Barros, os vereadores de Porto Velho deram um fim à Comissão Especial de Acompanhamento da Covid-19.
 
BATE BOCA
 
Macário criou o Projeto de Lei que extinguiu a comissão alegando que já existe uma Comissão de Saúde na casa. Durante a sessão que aprovou o projeto, houve discussão e Macário quase saiu no braço com o então presidente da Comissão, vereador Everaldo Fogaça. 
 
JUSTIFICATIVA
 
O vereador Fogaça informou que quando fez o projeto realizou uma pesquisa em várias capitais brasileiras e constatou que um trabalho voltado exclusivamente para o Covid-19 traria importantes benefícios e ações no combate à doença.
 
JUSTIFICATIVA 2
 
Fogaça enfatiza que as comissões existentes nas capitais acompanham não só a aplicação correta de recursos, mas também cronograma de vacinação, disponibilidade de vacinas e estratégias para controle da pandemia.
 
ARGUMENTO
 
A justificativa de Macário Barros é pertinente, se for levado em conta o argumento de já haver fiscalização pela Comissão de Saúde da Câmara. O que não dá para entender é porque a criação da Comissão foi aprovada pelos vereadores no dia 30 de março.
 
DESANTENÇÃO
 
Não é de hoje que algumas ações ocorridas na Câmara deixam a impressão de que o que acontece por lá não é levado muito a sério. Vereadores aprovam leis e projetos sem ter um mínimo de noção do que trata o tema.
 
VERGONHA
 
O que acontece na BR-364, nas proximidades do posto Carga Pesada, bem na cara de diversas autoridades que por lá passam todos os dias é um tremendo enxovalho.
 
CRATERAS
 
O festival de buracos que destrói carros e caminhões e põe em risco à vida de motoristas e pedestres está escancarado em vários postos da pista e acostamento.
 
DESLEIXO
 
Complementando a gestão vergonhosa de quem deveria zelar pelo local, tem ainda a sujeira no acostamento que cobre a sinalização e prejudica a visão dos motoristas.
 
PERIGO
 
Valdomiro Silveira, dono de um comércio nas proximidades, diz que é rotineiro carros e caminhões danificarem pneus e suspensão ao cruzar pelos buracos.
 
CONSERTO
 
O comerciante diz ainda que algumas pessoas demoram quase um dia inteiro para fazer um conserto tamanho é o estrago que as crateras provocam.
 
PERIGO
 
Paulo Diaz, que precisa passar diariamente pelo local, conta que já aconteceram acidentes com motoristas que fizeram manobras bruscas para desviar da buraqueira.
 
VÍTIMAS
 
Ele afirma que é surpreendente não ter havido ainda uma tragédia no local. “ Os motoristas vem correndo e quando dão de cara com os buracos desviam bruscamente para o acostamento ou retornam para o meio da pista”, argumenta Paulo.
 
OUTRO LADO
 
O superintendente do DNIT em Rondônia, André dos Santos, disse que a licitação para pavimentação da BR está na análise da proposta vencedora.
 
DUAS SEMANAS
 
Ele afirma que nos próximos 15 dias deverá ocorrer a homologação da empresa vencedora e assinatura de contrato. Além da pavimentação, a obra também prevê a limpeza dos canteiros e acostamento.
 
ATENÇÃO
 
Diante dessa confirmação de que a solução não vai chegar tão rápido como se espera, o conselho aos motoristas e pedestres é paciência e atenção redobrada para quem cruzar pelo local.
 
PUBLICIDADE DO GOVERNO
 
Sobre o tema abordado na coluna de ontem, referente ao contrato de publicidade para peças do governo, recebi nota da agência Nacional Comunicação. O texto está na íntegra.
 
A Nacional Comunicação não pede a anulação da licitação do Governo do Estado. Pede tão somente a desclassificação da agência PNA pelas irregularidades existentes na proposta apresentada por ela, com flagrante desrespeito às regras do edital e da legislação vigente. A tese da anulação só serve à própria PNA. Seria a decisão que  viria beneficiar o infrator, pois resultará em nova licitação, dando à PNA uma oportunidade nova. Vale lembrar: seis Empresas participam do certame e, ao contrário da PNA, as demais licitantes o fizeram respeitando as regras. Por que agora anular a licitação? Isso só beneficia quem agiu tentando burlar a legalidade. O nosso caminho será o judiciário.
 
NO VERMELHO
 
As atividades turísticas já somam um prejuízo de R$ 341,1 bilhões desde o agravamento da pandemia do novo coronavírus no País, em março de 2020.
 
NO VERMELHO 2
 
O setor chegou a abril deste ano operando com aproximadamente 61,4% da sua capacidade mensal de geração de receitas, calcula a CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo).
 
IMPOSIÇÃO
 
O WhatsApp determinou que sábado (15) é a data limite para que usuários de todo o mundo aceitem as novas condições de uso do aplicativo. Caso isso não ocorra, algumas funções poderão ficar indisponíveis.
 
COISAS DO BRASIL
 
O Superior Tribunal de Justiça deferiu pedido de uma mãe para alterar o nome da filha de três anos de idade. A criança foi registrada com o nome do anticoncepcional que a mãe tomava quando engravidou.
 
VINGANÇA
 
Segundo a mulher, o pai fez o registro com o nome do anticonceptivo como forma de protesto pois o mesmo não queria que ela engravidasse.  No entendimento da Justiça, houve rompimento unilateral de acordo já que o nome escolhido para a criança teria sido outro.
 
VERGONHA
 
Ainda conforme a decisão, o STJ enfatiza que o vexame não se atém à mãe, também se transfere à criança. Que carregou em sua identificação, e personalidade, o nome do anticoncepcional.
 
JURISPRUDÊNCIA
 
A decisão traz uma inovação importante e pode gerar revisão de outros casos. Quase todos nós conhecemos pessoas com nomes estranhos e até esquisitos que são usados para homenagear alguém ou algo.
 
**Este texto reflete a opinião do autor e não, necessariamente, a opinião do Rondoniaovivo.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS