BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

ESPAÇO ABERTO: Em Guajará-Mirim óbitos por Covid-19 são quase metade do número de infectados

Confira a coluna de Cícero Moura

CÍCERO MOURA/RONDONIAOVIVO

20 de Maio de 2020 às 08:56

Foto: Divulgação

INTERVENÇÃO
 
A Assembleia Legislativa de Rondônia aprovou intervenção na saúde de Guajará-Mirim, o segundo município em mortes por coronavírus no Estado. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, Guajará-Mirim tinha até ontem, às 20h, 53 casos confirmados com 18 óbitos.
 
MEDIDAS
 
Os deputados Laerte Gomes (PSDB) e Dr. Neidson (PMN), argumentam que é preciso uma ação efetiva e imediata por parte do Governo, que deve intervir de forma total ou parcialmente desde que haja parceria com empresários, comerciantes e a própria população. 
 
NÚMEROS ASSUSTADORES
 
Dr. Neidson disse que quando os números apontaram Guajará com 34 casos de Covid-19 confirmados e  o registro de 17 mortes o Estado já deveria ter se mobilizado. O deputado frisa que é o maior percentual de mortalidade de que se tem notícia no país. 
 
 
LEITOS 
 
Em Guajará-Mirim existem apenas 04 leitos disponíveis no hospital da cidade, com equipamentos básicos como ventiladores mecânicos e balões de oxigênio. Não há nenhuma unidade específica para tratamento dos pacientes confirmados com covid-19.
 
A ALEGRIA NA TRISTEZA
 
Uma jovem de 21 anos, confirmada com o novo coronavírus, deu à luz a uma menina de 3,4 quilos, no Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro, em Porto Velho. O bebê nasceu de parto normal e passa bem. 
 
PROCEDIMENTOS
 
A mãe, moradora da Capital, estava internada na Maternidade Municipal Mãe Esperança, mas apresentou sintomas da doença e foi encaminhada para a maternidade de alto risco do Hospital de Base, onde foi feito o exame e constada a Covid-19.  
De acordo com o médico Cristiano Almeida, durante todo o tempo a mãe permaneceu estável e foi internada na ala para gestantes destinada a pacientes com coronavírus na unidade.
 
JUNTOS
 
Na  segunda-feira, foi realizada a coleta para o exame de Covid-19 da bebê. No momento, tanto a mãe como a recém nascida, estão estáveis e permanecem internadas na enfermaria. Protocolo  do Ministério da Saúde orienta que mãe e recém-nascido não sejam separados mesmo em caso de diagnóstico de Covid-19.
 
NO CHÃO
 
Auditoria do Tribunal de Contas do Estado aponta que novo contrato com transporte aeromédico, com empresa de Goiás, pode causar prejuízo superior a R$ 1,5 milhões de reais ao estado.
 
APURAÇÃO
 
O levantamento, feito por ordem do próprio de Tribunal de Contas, apontou, na licitação em curso (P.E 555/2019), ausência de estudo de viabilidade econômica de nova contratação para realização de serviços de UTI Aérea pelo Estado de Rondônia.
 
FOI INFORMADO 
 
Relatório  entregue ao conselheiro Valdivino Crispim de Souza, do Tribunal de Contas do Estado, que vem acompanhando os gastos do governo relacionados à saúde, revela que o governo pode pagar bem mais caro caso venha a finalizar nova licitação para atender serviços aeromédicos. 
 
SÓ ASSINAR
 
Por outro lado isso parece não incomodar o governo. A licitação já foi encerrada há alguns dias e o contrato está para ser assinado a qualquer momento com uma empresa do Estado de Goiás.
 
PRESSA
 
A rapidez do negócio é justificada devido o serviço ser considerado essencial. A questão é: porque a Sesau prefere pagar caro por um serviço que custa mais barato com empresa de Rondônia que possui aeronaves com certificação internacional que atendem todos os padrões de segurança exigidos pela Anac.
 
NÚMEROS  
 
O levantamento do auditor do TCE revela uma matemática primária, fácil de ser compreendida. Dependendo do tipo de voo, o valor do km voado no novo contrato pode passar de R$ 25,48. No contrato em vigor, o Estado gasta pouco mais de R$ 21,00 no km/voado para qualquer tipo de voo. 
 
NÃO QUIS
 
Apesar da economia , a Sesau parece não querer mais o contrato em vigência que poderia ser prorrogado até 2021. O objetivo é manter um novo certame licitatório, mesmo sabendo que isso pode sair mais caro para os cofres públicos. 
 
OUTRO LADO
 
A Sesau não respondeu as mensagens da coluna.
 
ACABOU O RESPEITO
 
Um camarada desprovido de qualquer tipo de temor invadiu o Hospital da PM, no Centro de Porto Velho, e surrupiou arroz, óleo, sardinha, biscoito e frango. Após fazer  “ a feira” o cara-seca foi embora tranquilamente.
 
REGISTRO
 
Toda a ação do bilontra foi registrada por câmeras de segurança. O crime só foi descoberto ontem. A Polícia Civil já está em poder das imagens e tenta prender o homem. Quem reconhecê-lo através das imagens pode denunciar anônimamente nos números 197 ou 190.
 
NÚMEROS QUE ARDEM
 
Os incêndios avançaram 308% em Rondônia entre os meses de abril de 2019 a abril de 2020. No ano passado, a área queimada correspondeu a 24 Km² e neste ano foi de 98 Km².
 
OFICIAIS
 
Os  índices são do Sistema de Alerta de Desmate – SAD, pertencente ao Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia – Imazon, colocam o estado de Rondônia como o segundo maior em aumento de queimadas da Amazônia Legal, ficando atrás apenas do Pará, que teve uma variação de 434% maior em seu volume de queimadas.
 
 
MAIS DADOS
 
Já em quilômetros quadrados queimados de floresta, Rondônia ocupa a terceira colocação no acumulado dos últimos 12 meses, apenas não queimou mais que o Pará, com 171 Km² e  Mato Grosso, que teve 135 km ² de floresta incendiada.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS