BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

ESPAÇO ABERTO: Politec não obedeceu ordem superior para devolver armas

Confira a coluna de Cicero Moura

CÍCERO MOURA/RONDONIAOVIVO

09 de Abril de 2020 às 08:29

Atualizada em : 09 de Abril de 2020 às 14:23

Foto: Divulgação

CONSTRANGIMENTO
 
Peritos da Secretaria de Segurança Pública de Rondônia estão inconformados com a operação da Polícia Civil para apreender armas e outros pertences do governo  que estavam em poder de servidores lotados na Polícia Técnica (Politec). Afirmam que passaram por constrangimento público quando um simples comunicado interno poderia resolver o assunto.
 
 
 
NÃO PODEM ANDAR ARMADOS
 
 
Decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) diz que servidores da segurança (peritos e auxiliares) não podem atuar como polícia, sendo assim perderam o porte de arma. 
 
 
OUTRO LADO
 
 
O Delegado Chefe da Polícia Civil, Samir Fouad Aboud, disse que os servidores da Politec tiveram quase dois meses para devolver armas, coletes, algemas e carteira funcional mas não o fizeram.
 
 
OUTRO LADO 2
 
 
O delegado Samir esclarece que foi publicado Edital avisando sobre a decisão do STF, 10 dias antes do carnaval. Um dia antes da data vencer, teria acontecido reunião com a participação do Secretário de Segurança onde teria sido prorrogada a devolução das armas para 27 de março. De acordo com o delegado Samir, como a Politec não atendeu o pedido ele autorizou a operação para apreensão do material.
 
 
ORDEM JUDICIAL
 
 
A  Justiça do Trabalho de São Paulo mandou o iFood  pagar um auxílio financeiro de ao menos um salário mínimo a todos os entregadores diagnosticados, sob suspeita ou que integram o grupo de risco do novo coronavírus.
 
 
MP
 
 
A liminar atende pedido do Ministério Público do Trabalho e determina multa diária de R$ 50 mil por descumprimento. A medida prevê também que o dinheiro seja revertido para medidas de combate ao Covid-19 da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). A decisão do juiz Elizio Luiz Perez, da 56ª Vara do Trabalho de São Paulo, tem abrangência nacional. 
 
 
JUSTIFICATIVA
 
 
Segundo o magistrado, ‘é de amplo e notório conhecimento’ que os entregadores da empresa continuam a atuar em meio à pandemia, circulando pelas ruas no período de isolamento social, ‘sem insumos e efetiva orientação técnica’ sobre o coronavírus. “É direito dos trabalhadores, de forma ampla, a redução dos riscos inerentes ao trabalho”, afirma.
 
 
MAIS GAFE
 
 
A cobertura juvenil dos fatos políticos continua produzindo presepadas. Nesta quarta (8), a âncora de uma emissora de TV disse que a sigla do Departamento Nacional de Trânsito é “DNIT”. Na verdade, é Denatran. 
 
 
COBRANÇAS INSISTENTES
 
 
Empresas de cobrança não aderiram ao isolamento. Um leitor reclama que por causa de um débito de menos de R$50 de 10 anos atrás, passou a receber, na quarentena, ligações de contratados da Caixa. 
 
 
ESTEVE NA UPA
 
 
Sobre a morte do taxista Aparecido Rodrigues Lopes (Leão) com suspeita de Covid-19, a Secretaria Municipal de Saúde (Semusa), informou que o atendimento ao paciente foi realizado seguindo os protocolos estabelecidos pelo Ministério da Saúde e pela Nota Técnica da Vigilância Epidemiológica.
 
 
FICOU ISOLADO
 
 
O paciente procurou a UPA Leste no dia 06 de abril com sintomas gripais (febre leve, tosse e falta de ar). Após a triagem, o paciente foi colocado em isolamento, examinado, realizados exames laboratoriais, coletado material para testagem de Covid-19 e medicado, ficando em observação.
 
 
MANDADO PRA CASA
 
 
De acordo com a Semusa, o taxista recebeu alta com prescrição médica e orientação para isolamento social, em função da suspeita de Covid-19 e se houvesse piora dos sintomas deveria retornar à Upa.
 
 
HISTÓRICO 
 
 
Conforme a Semusa, o paciente era portador de diabetes mellitus e hipertensão arterial sistêmica (fazia uso recorrente de medicamentos).
 
 
MEDIDAS RÁPIDAS
 
 
A Secretaria diz que tão logo foi informada do óbito, o Departamento de Vigilância em Saúde (DVS) acionou os setores envolvidos para investigação do caso, inclusive orientado sobre a necessidade de rigor com as medidas de biossegurança que o caso necessita.
 
 
À PROCURA DE CONTATOS
 
 
 
O DVS informou que os passageiros que tiveram contato com o taxista, que avisem a vigilância epidemiológica através dos telefones 3223-5958 e 098473-7909.
 
 
NA RODOVIÁRIA
 
 
De acordo com colegas do motorista, ele estava trabalhando normalmente na rodoviária nos últimos dias mesmo tendo se queixado para outros taxistas de febre, dor e falta de ar. Um infectologista consultado pela coluna diz que atividades como a dos taxistas estão entre as mais suscetíveis a provocar contaminação em massa. 
 
 
PRIMEIRO CASO NA CIDADE
 
 
O município de Ouro Preto do Oeste confirmou nesta quarta-feira, 8, o primeiro caso de coronavírus na cidade. Um homem procedente do estado do Espírito Santo atestou positivo. A Secretaria Municipal de Saúde disse que está acompanhando o paciente.
 
 
COMÉRCIO GLOBAL VAI CAIR
 
 
A OMC (Organização Mundial do Comércio) prevê que o volume de comércio global cairá entre 13% e 32%, como resultado das disfunções econômicas provocadas pelo coronavírus. Em relatório divulgado nesta quarta, a entidade explica que o cenário é difícil para previsões, devido ao caráter incerto da pandemia, mas conclui que a queda será mais acentuada do que a observada durante a crise financeira de 2008 e 2009.
 
 
AUXÍLIO
 
 
Aqui no Brasil, em meio à crise do coronavírus, o governo avalia ajudar grandes empresas através de apoio para contratação de dívida ou por meio de títulos que posteriormente poderiam ser convertidos em ações, afirmou nesta quarta o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto.
 
 
JÁ ESTÃO NA ECONOMIA
 
 
Em videoconferência com executivos do banco Credit Suisse, ele afirmou que os recursos liberados para os bancos que já foram injetados na economia por medidas do BC são suficientes, mas que a autoridade monetária tem mais iniciativas na manga caso seja necessário.
 
 
OPORTUNIDADE DURANTE A CRISE
 
 
Com a pandemia de coronavírus e a desaceleração da economia global, muitos profissionais temem perder seu emprego ou enfrentam dificuldades em encontrar um novo trabalho. No entanto, algumas ocupações são mais buscadas durante a crise , principalmente aquelas que lidam diretamente com ela. O Glassdoor, site de vagas de empregos e avaliação de empresas, identificou 20 delas. Os números mostram aumento de demanda por profissionais ligados à área da saúde, como médicos, enfermeiros, farmacêuticos e técnicos de laboratório. Os setores de logística e comércio também aparecem na lista.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS