BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Vinícius Miguel: 'Sou professor e tenho muito orgulho disso'

Para o candidato, ser professor é a esperança de que o mundo possa mudar

ASSESSORIA

15 de Outubro de 2020 às 09:47

Atualizada em : 16 de Outubro de 2020 às 15:43

Foto: Divulgação

"Sou professor e tenho, como todo professor, muito orgulho disso. Aos políticos e candidatos de plantão, que eventualmente se lembrem de nós nesta data, parece muito fácil parabenizar os professores e professoras, falar como a educação é importante e, adiante, seguir desvalorizando docentes, aparelhando escolas e pautando temas que pouco ou nada tem a ver com as pautas realmente estruturais de nosso campo"
 
Virão os chavões como “educação é o futuro”, ou “parabéns aos mestres” e pronto. Nada de novo e nem de estrutural. No fim das contas, os políticos de sempre sabem que educação não dá tantos votos quanto inaugurar placa com nome de rua, ou um slogan bonito na campanha. Basta! Educação é algo sério e precisa ser tomado como prioridade o quanto antes.
 
Educação é política de Estado. É algo a ser pensado a longo prazo e independente de conchavos ou oportunismos. Educação não é somente futuro, é presente. Educação é Direito e Dever – e de qualidade, pública e inclusiva. Educação se constrói como projeto desde hoje, coletiva e permanentemente. E só quem já assumiu uma sala de aula, como nós, sabe bem o desafio que esse ofício traz no dia-a-dia.
 
Não me refiro só aos baixos salários, ou à ingerência sobre a prática docente, tampouco sobre a desvalorização da carreira em todos os níveis. Educação é algo que deve ser gestado e gerido de forma conjunta, com projetos tangíveis e uma agenda construída sem aventuras. Na prática, porém nossa história tem sido completamente diferente disso. Não se discute à fundo educação integral, orçamento participativo, valorização dos profissionais da educação. Também é necessário, com urgência, se discutir a capacitação tecnológica de nossos profissionais e, claro, buscar garantir estrutura para que nossos alunos e alunas possam se preparar para o futuro em um mundo cada vez mais conectado. A Covid-19 nos mostrou como estamos defasados em relação ao restante do mundo e cabe ser feita uma reflexão sobre tecnologia para além de se discutir somente ensino remoto. Há muito a ser feito, e hoje sabemos disso mais do que nunca.
 
Nosso desafio é pensar a Educação em conjunto com a gestão da Cultura, Esporte e Lazer, Saúde e Segurança. Não adianta recebermos parabéns neste dia 15 de outubro das mesmas pessoas responsáveis por manterem as turmas lotadas, escolas mal estruturadas e, muitas vezes, abandonadas. Nossas escolas em distritos, zonas rurais e comunidades ribeirinhas também precisam desses cuidados e dessa valorização, bem como nossas professoras e professores merecem acolhimento, capacitação permanente e reconhecimento pela diferença que fazem, a duras penas, não apenas na vida de seus alunos e alunas, mas também impactando a vida de suas famílias.
 
Meus parabéns neste dia do professor e da professora não poderia vir de outra forma, que não como um lampejo de esperança. Esperança de que seja possível mudar e mudar para melhor. Que possamos, juntos, seguir sendo semente mas, com apoio institucional e político. Esperança de que a Educação seja, de fato, prioridade e que todos nós, desde as merendeiras e vigilantes, até gestoras e gestores possam ser valorizados pela diferença que fazem no mundo, todos os dias – mesmo que tudo pareça ser contra. Ser professor é isso: não apenas ter esperança, mas ser esperança. Esperança de que o mundo possa mudar, de que a realidade de nossas alunas e alunos possa ser transformada, que suas famílias possam ser tocadas e as coisas melhorem.
 
Parabéns, professoras e professores pelo seu dia! E por serem, hoje e sempre, semente de esperança!
 
Texto: Da assessoria
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS