BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

CAMPANHA: Pimentel atribui ataques ao medo dos adversários nas eleições

Segundo Pimentel, a atitude do advogado evidencia uma tentativa de afastar da disputa um candidato que assusta os incapazes, pelo crescimento de sua campanha

ASSESSORIA

09 de Outubro de 2020 às 14:15

Foto: Divulgação

O candidato a prefeito pelo MDB, Williames Pimentel, lamentou ontem que alguns adversários, ao invés de apresentar ao eleitor portovelhense algum projeto efetivo para tirar a cidade da estagnação e abandono de que padece, buscam descredenciar sua candidatura, que comprovadamente mais se qualifica para o cargo. Isso pode ser constatado não apenas pelo elevado número de adesões que tem recebido, mas pela crescente receptividade obtida para os planos e projetos da campanha Saúde é Tudo!
 
A mais nova investida chega, suspeitíssima, de São Miguel do Guaporé, de onde um advogado desembarcou na Justiça Eleitoral em Porto Velho em busca de notoriedade, com um calhamaço de 85 laudas de coisa alguma. O propósito, evidente, é que a justiça de deixe intimidar pelo volume e lhe conceda a inelegibilidade de Pimentel com base em um parecer prévio do TCE contra a Prefeitura, com base em uma auditoria de 2009. O tribunal questionou procedimentos adotados com base em uma legislação que desconsiderou por julgá-la inconstitucional.
 
Mesmo assim, o TCE, que apreciava as contas do então prefeito e de 12 secretários, entre os quais figurava o atual candidato do MDB, na época secretário municipal de Saúde, decidiu  não ter havido qualquer dano ao erário, nem dolo no procedimento analisado. Tanto que nem chegou a aplicar qualquer multa ao prefeito ou a seus secretários. Ademais, o parecer não é nem mesmo conclusivo, posto que ainda depende de avaliação pela Câmara dos Vereadores (veja documento anexo).
 
Embora indignado, Pimentel não tem o menor receio de que a Justiça Eleitoral possa impugnar sua candidatura, já que o próprio TCE indica não haver em seu parecer prévio os pressupostos estabelecidos pela lei complementar 64/90 para declarar sua inelegibilidade. Mas a atitude do advogado evidencia uma tentativa de afastar da disputa um candidato que assusta os incapazes, pelo crescimento de sua campanha e pela estimulante constatação da plena aceitação de suas propostas pela população de sua terra natal.
 
Texto: Da assessoria

Documentos anexos

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS