LIVRO: Como estará o mundo em 2041 com o avanço da Inteligência Artificial

As visões para o futuro de um dos maiores especialistas em IA do mundo escritas a quatro mãos com um dos principais autores de ficção científica da China

Saindo do clichê dos livros teóricos e cheios de conceitos incompreensíveis ao público leigo, Kai-Fu Lee, fundador da Google China e autor do best-seller Inteligência artificial, e Chen Qiufan, um dos grandes nomes do sci-fi, apresentam ao leitor dez contos que mostram de forma divertida concepções que podem se tornar uma realidade até 2041.

 

Ainda que alguns deles pareçam saídos de um filme de ficção científica, outros serão facilmente reconhecidos pelo leitor como parte do seu cotidiano.Cada conto de Chen Qiufan é acompanhado por uma análise de Kai-Fu Lee sobre como a tecnologia apresentada na trama fará em breve parte de nossas vidas.

Kai-Fu Lee: A história real da AI

 

Os temas vão desde carros sem motoristas e robôs que farão todo o trabalho que consideramos entediante até novas formas de educação e de cuidados com aqueles que estão prestes a partir.

 

Os autores apresentam de maneira simples e direta temas que poderiam, de outro modo, soar complexos, ao mesmo tempo em que refletem sobre como a inteligência artificial já é uma realidade para nós.2041 demonstra como o mundo pode ser daqui a duas décadas em uma obra dedicada não apenas aos leitores que se interessam por tecnologia, mas também a todos aqueles que desejam ter um vislumbre de como serão os próximos anos.

 

Cinco pontos sobre o livro

 

1 – AI será o grande definidor do desenvolvimento do século XXI. Em duas décadas, aspectos da vida humana diária estarão irreconhecíveis. E a inteligência artificial gerará riquezas sem precedentes, revolucionando a medicina e a educação por meio da simbiose homem-máquina e criando novas formas de comunicação e entretenimento.

 

Chen Qiufan: Como podemos aprender a parar de nos preocupar e abraçar o futuro com mais imaginação

 

2 – Entretanto, a AI também trará novos riscos na forma de armas autônomas e tecnologia inteligente que herda o preconceito humano, como deepfakes, riscos à segurança, invasão de privacidade, e perda de emprego.

 

3 – O momento atual é um divisor de águas para a AI e as pessoas precisam acordar tanto para os caminhos radiantes que essas tecnologias podem proporcionar quanto para seus perigos.

 

4 – Em 20 anos, veremos um deslocamento massivo da força de trabalho. A maneira como lidamos com o custo social e econômico da AI será uma questão essencial. Mas é possível nos afastar da distopia e ir na direção da utopia.

 

5 – Todos são autores da história da AI, já que as pessoas têm a chance de se reinventar. É possível explorar outros mundos e possibilidades com a AI, e inclusive resolver problemas globais, como a fome e a pobreza.

 

Sobre os autores


Kai Fu Lee é o diretor-presidente da Sinovation Ventures e foi presidente da Google China, além de ter sido executivo sênior da Microsoft, SGI e da Apple. Também é autor do livro AI Superpowers, de acordo com o New York Times. Já esteve na lista da Time 100 e foi escolhido como um dos 25 ícones da Wired.


Chen Qiufan, também conhecido como Stanley Chan, é um autor, tradutor e produtor de conteúdo e curador, ganhador de vários prêmios. Também ocupa o cargo de presidente da Associação Mundial de Ficção Científica da China. Alguns de seus livros de sucesso incluem Waste Tide (Maré de resíduos), Future Disease (Doença futura) e The Algorithms for Life (Os Algorítimos para a Vida).
 

 

Fontes: Amazon e Expnew

Direito ao esquecimento
Como você classifica o mandato do prefeito Moisés Cavalheiro em Itapuã do Oeste?
Como resolver o problema dos animais de rua?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS