BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Centro de Convenções ainda sem previsão para reiniciar a obra

A empresa PAS, que elaborou o projeto no Governo anterior, não realizou o estudo do solo. Por conta do erro, a obra precisou parar, segundo o superintendente da Sejucel.

Rondoniaovivo

29 de Julho de 2020 às 08:04

Foto: Divulgação

Ainda sem previsão para reiniciar a construção do Centro de Convenções de Porto Velho, espaço destinado aos eventos culturais de Rondônia. A obra, que iniciou em 2019, está sendo erguida no antigo Parque dos Tanques, onde funcionava a feira agropecuária (Expovel).

 

“Estamos trabalhando para que isso ocorra o mais breve possível, mas ainda não podemos dar uma previsão”, declarou o superintendente da Juventude, Cultura, Esporte e Lazer (Sejucel), Jobson Bandeira.

 

 Isto porque, segundo ele, tem um lixão na área que ocupa aproximadamente 20 metros de largura e 15 metros de profundidade. “Esse material, que está a 02 metros abaixo do solo, precisa ser retirado para fazer a compactação da terra e dar continuidade a obra”, revelou.

 

 

O superintendente explicou que a empresa contratada pelo Governo passado para elaborar o projeto de construção não fez o estudo de solo, como era o previsto. “Sendo assim, a construtora iniciou a obra, mas quando chegou no lixão teve que parar o trabalho até que seja retirado esse material e a pandemia terminou atrasando tudo”.

 

Jobson Bandeira afirmou que o Estado processará a empresa por não ter feito o estudo de solo.

 

A estimativa de investimento é de pouco mais de R$ 17 milhões, incluindo a contrapartida do Governo. O Centro de Convenções será um espaço coberto, com arquibancadas e todas as demais estruturas necessárias para realizar eventos como o Flor do Maracujá.

 

Empresa PAS

 

Erros da empresa PAS, que elaborou o projeto de construção, segundo o superintendente: “Erros na elaboração dos projetos por conta da topografia e levantamento da Sondagem, que por sua vez gerou o principal erro ESTRUTURAL DE FUNDAÇÃO. Pois, na hora da execução, de escavar pra fazer a fundação foi encontrado material orgânico (lixo)”.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS