REAJUSTE: Petrobras anuncia aumento de 8,9% do diesel após 85 dias com preços estáveis

Neste ano, o diesel acumula alta de 51%

REAJUSTE: Petrobras anuncia aumento de 8,9% do diesel após 85 dias com preços estáveis

Foto: Divulgação

 

Após 85 dias com preços estáveis, a Petrobras anunciou reajuste no preço do diesel para as distribuidoras a partir de quarta-feira. O preço médio de venda passará de R$ 2,81 para R$ 3,06 por litro, ou seja, um reajuste de 8,9%.
 
Neste ano, o diesel acumula alta de 51%. E a pressão sobre os preços deve continuar, diante de novo aumento do barril de petróleo no  mercado internacional. A cotação alcançou o maior patamar em três anos. Não à toa, o Banco Central já está prevendo que a inflação no Brasil vai superar a meta também no ano que vem, a exemplo do que ocorrerá este ano.  
 
O anúncio ocorre um dia após o presidente da Petrobras convovar uma entrevista coletiva às pressas para explicar a composição do preço dos combustíveis e assegurar que a empresa não mudará sua política de preços.
 
Nesta segunda-feira, o presidente Jair Bolsonaro disse que um dos fatores que vêm pressionando a inflação são os combustíveis e culpou a política de preços da Petrobras por isso,embora também costume atribuir a alta da gasolina e do diesel ao ICMS cobrados pelos estados. 
 
 
Em resposta, o presidente da Petrobras, Joaquim Luna e Silva, explicou que a estatal fica com cerca de R$ 2 do preço final da gasolina, por exemplo.
 
O novo valor do diesel, que passará a R$ 3,06 a partir de amanhã, é o que será cobrado das refinarias. O preço final na bomba depende de tributos e de ganhos das distribuidoras.
 
Em nota, a Petrobras disse que a parcela da companhia no preço final passará a ser de R$ 2,70 por litro em média. Ou seja: uma variação de R$ 0,22.
 
 
De acordo com o comunicado, esse ajuste é importante para garantir que "o mercado siga sendo suprido em bases econômicas e sem riscos de desabastecimento pelos diferentes atores responsáveis pelo atendimento às diversas regiões brasileiras: distribuidores, importadores e outros produtores, além da Petrobras''.
 
A estatal atribui a alta do diesel ao petróleo e dólar mais caros. Nesta terça-feira, o barril de petróleo tipo Brent, referência global, ultrapassou a marca de US$ 80, alcançando o maior valor em três anos.
 
O preço dos combustíveis têm sido um dos vilões da inflação, que já passa de 10% em 12 meses, segundo dados do IPCA-15, espécie de prévia do indicador. E a alta de preços tende a ser um fenômeno persistente. Hoje, o Banco Central revisou suas projeções de inflação para 2022 3,7%, acima do centro da meta.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS