PRESSÃO: EUA vão partilhar até 60 milhões de doses de vacinas da AstraZeneca

Anúncio foi feito pelo governo norte-americano

PRESSÃO: EUA vão partilhar até 60 milhões de doses de vacinas da AstraZeneca

Foto: Divulgação

A Casa Branca anunciou que os Estados Unidos (EUA) vão partilhar com outros países vacinas contra a covid-19 da AstraZeneca nos próximos meses. O presidente Joe Biden prometeu ao primeiro-ministro indiano, Norendra Modi, apoio no combate à pandemia.
 
Até 60 milhões de doses da vacina poderão ser disponibilizadas a outros países logo que as autoridades sanitárias norte-americanas derem luz verde ao produto. É uma espécie de expansão do plano inicial de partilha de cerca de 4 milhões de doses com o México e o Canadá.
 
A vacina da AstraZeneca ainda não foi aprovada pela autoridade que regula os medicamentos nos Estados Unidos, a FDA. No entanto, o governo tem milhões de doses armazenadas e outras em fase final de produção. 
 
Os Estados Unidos terão reservas e encomendas para vacinar toda a população norte-americana elegível até o início do verão com doses da Pfizer, Moderna e Johnson & Johnson, as vacinas que já têm aprovação de uso no país.
 
“Considerando o forte portfólio de vacinas que os EUA já possuem, e que foram autorizadas pela FDA, e dado que a vacina da AstraZeneca não está autorizada para uso nos EUA, não precisamos de usar esse produto aqui durante os próximos meses”, disse Jeff Zients, coordenador do Plano de Combate à Covid-19 da Casa Branca. Andy Slavitt, um dos conselheiros do plano, anunciou a decisão nas redes sociais.
 
De acordo com os mais recentes dados oficiais, mais de 53% dos adultos nos EUA já receberam pelo menos uma dose da vacina.
 
“Assim, os Estados Unidos estão a procurar opções para compartilhar as doses da AstraZeneca com outros países à medida que elas ficarem disponíveis”. Isso equivale a um primeiro lote de 10 milhões de vacinas e depois mais 50 milhões de doses, que ainda estão em produção.
 
A Casa Branca tem sido alvo de acusações de monopolização de vacinas, enquanto outros países estão em necessidade urgente. Os críticos citam ainda o caminho perdido na “diplomacia das vacinas”, enquanto Rússia e China apostam numa política internacional “agressiva” de doação de vacinas.
 
De acordo com dados oficiais recentes, mais de 53% dos adultos nos EUA já receberam pelo menos uma dose da vacina.
 
Joe Biden falou ao telefone com o primeiro-ministro indiano Norendra Modi. Ele manifestou preocupação com as dificuldades do governo indiano no combate à pandemia e prometeu apoio. “O presidente prometeu apoio inabalável da América ao povo indiano”, disse a Casa Branca, em comunicado que relata a conversa telefônica entre os dois líderes.
 
* Com informações da RTP - Rádio e Televisão de Portugal
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS