FEMINICÍDIO: Apresentadora de TV e rádio, Evelyne Ogawa, é assassinada pelo próprio marido

Ele foi solto após confessar o crime

FEMINICÍDIO: Apresentadora de TV e rádio, Evelyne Ogawa, é assassinada pelo próprio marido

Foto: Divulgação

 

A radialista Evelyne Ogawa, de 38 anos, foi morta pelo marido na noite da última sexta-feira (26/3) na casa em que morava, em um condomínio em Samambaia Sul. Vinícius Fernando Silva Camargo, de 30 anos, compareceu à 26ª Delegacia de Polícia acompanhado do advogado na tarde de sábado (27) para confessar o crime.
 
 
 
O agressor, conforme ele mesmo contou à polícia, utilizou um fio elétrico para matar a vítima por estrangulamento. A apresentadora manteve um relacionamento com Vinícius Fernando por mais de três anos. Durante o período, a família não tomou conhecimento de qualquer outro caso de violência.
 
No dia 18/3, Vinícius teria saído de casa e ficado sem dar notícias. A vítima, então, proibiu a entrada dele no condomínio em que moravam. Depois do fim de semana, após uma discussão, a mulher permitiu a entrada do companheiro no prédio.
 
 
Evelyne Ogawa, de 38 anos, era apresentadora de televisão, radialista, assessora artística e produtora. Usuária assídua das redes sociais, ela adorava compartilhar frases inspiradoras e seu cotidiano com seus mais de 10 mil seguidores.
 
Em sua última publicação no Facebook, ela escreveu: “Não sei como termina a minha história, mas em nenhuma página dela você vai ler: – Ela desistiu”. Neste sábado, o marido de Evelyne, Vinícius Fernando da Silva Camargo, compareceu à 26ª DP e confessou ter matado a esposa enforcada com um fio elétrico no dia anterior.
 
Fã de música sertaneja, a brasiliense trabalhava há sete anos na Rádio Federal, onde narrava os programas “Frequência Federal” e “Programa Evelyne Ogawa”.
 
Evelyne e o marido
 
 
O crime
 
Evelyne foi assassinada pelo marido, Vinícius, com quem mantinha um relacionamento há mais de três anos. Ele já tinha antecedentes criminais, por ter agredido a estudante Eslândia Rodrigues, 26 anos, em 2017. 
 
Na quinta-feira (18/3), o homem teria saído de casa e ficado sem dar notícias. A vítima então proibiu a entrada dele no condomínio em que moravam. Depois do fim de semana, após uma discussão, a radialista permitiu a entrada do companheiro no prédio. O crime teria ocorrido poucos dias depois, na noite dessa sexta-feira (26/3).
 
Enterro
 
Familiares e amigos de Evelyne Ogawa, de 38 anos, estão reunidos no cemitério Campo de Esperança da Asa Sul nesta segunda-feira (29/3) para o último adeus à radialista.
 
O clima no velório é de revolta e tristeza. “A dor da mãe que perde uma filha é indescritível. O coração está doendo demais”, emociona-se Lauridete Ishiyama Ogawa, 61 anos, mãe de Evelyne. De acordo ela, a família temia o relacionamento entre os dois e pedia que ela terminasse, apesar de Vinícius nunca ter se mostrado agressivo.
 
“Meu sentimento no momento é de ódio. Ela cuidava dele, fazia tudo por ele. Ela sustentava a casa porque ele não trabalhava. Até dinheiro para cortar o cabelo ela dava. Por que ele não foi para o canto dele? Podia ter deixado minha filha em paz”, desabafa.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS