AJUDA: Rio Grande do Sul receberá 50 pacientes com Covid-19 de Porto Velho

Hospitais de Porto Alegre e de Canoas receberão os egressos

AJUDA: Rio Grande do Sul receberá 50 pacientes com Covid-19 de Porto Velho

Foto: Divulgação

 

O governo do Rio Grande do Sul receberá, nesta terça-feira (26), 50 pacientes clínicos de coronavírus vindos de Porto Velho, capital de Rondônia. Eles serão enviados para hospitais de Porto Alegre e de Canoas. No sábado (23), o prefeito da cidade, Hildon Chaves, afirmou que os leitos no município para pacientes com covid-19 estão lotados. 
 
A SES receberá nesta segunda-feira (25) um relatório com informações sobre o quadro clínico e a situação de cada paciente. Para a transferência entre o aeroporto e os hospitais, serão utilizadas ambulâncias básicas e avançadas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Há possibilidade de a logística também envolver um micro-ônibus da Brigada Militar ou do Exército.
 
Dos 50 pacientes, 20 serão enviados para o Hospital Universitário de Canoas. Os outros 30 ficarão em Porto Alegre – 10 no Grupo Hospitalar Conceição, 10 no Hospital de Clínicas e 10 no Hospital Vila Nova. A Secretaria Estadual da Saúde (SES) organiza uma operação de transferência desde o aeroporto Salgado Filho, na Capital, onde os pacientes devem desembarcar, até os hospitais.
 
Nas redes sociais, o governador em exercício, Ranolfo Vieira Júnior, disse que “a solidariedade não tem distância nem fronteiras” e que o Estado atenderá a um pedido do Ministério da Saúde. 
 
Já a secretária da Saúde, Arita Bergmann, ressaltou que o Estado se solidariza com a situação de Rondônia e agredeceu aos gestores municipais e aos hospitais que colocaram leitos à disposição. Em entrevista ao programa Gaúcha Faixa Especial, na noite deste domingo, ela afirmou que a baixa ocupação de leitos clínicos de pacientes com coronavírus (está em 22% neste momento) ajuda o Estado a planejar o recebimento desses pacientes.
 
A decisão foi tomada entre a SES e a secretarias municipais de Saúde das cidades que vão receber os pacientes. 
 
— São pacientes clínicos que precisam de oxigênio e de outras demandas. O governo de Rondônia quer se precaver e evitar que esses pacientes acabem na UTI, porque o Estado vive uma situação de pré-colapso. Se forem para UTI, é possível que não recebam atendimento adequado _ explicou o diretor do Departamento de Regulação Estadual, Eduardo Elsade.
 
Eles ocuparão leitos de enfermaria – há possibilidade, no entanto, de que o quadro venha a evoluir e que precisem de leitos de UTI. Mesmo assim, o diretor de Regulação Estadual garante que o RS está preparado para receber as pessoas.
 
- Temos condições de suportar um eventual aumento de demanda e não temos receio em aceitar esses pacientes, colaborando com os Estados do Norte, que estão em dificuldade neste momento - garantiu Elsade.
 
Em 14 de janeiro, o governo do Estado já havia se colocado à disposição para receber pacientes de Manaus, em consequência do esgotamento da rede hospitalar da capital do Amazonas.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS