BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

EM TEMPO DE PANDEMIA: Empreendedores da gestão condominial recomendam política da boa vizinhança

Outra questão importante nesse cenário é os pais orientarem as crianças a evitar barulho.

ASSESSORIA

21 de Maio de 2020 às 08:25

Atualizada em : 21 de Maio de 2020 às 16:06

Foto: Divulgação

Uma das apresentações virtuais mais aplaudidas durante a quarentena, a live do DJ Alok quase virou caso de polícia devido à insatisfação de alguns moradores do condomínio, onde o artista mora em São Paulo.

 

Embora tenha sido autorizado pelo sindico com o aval da maioria dos condôminos, o show online que arrecadou vinte mil cestas básicas para famílias de baixa renda afetadas pela pandemia da  covid-19,  gerou polêmica porque alguns vizinhos  sentiram-se  incomodados  pelo barulho.

 
A cena doméstica que ganhou destaque na mídia pela fama do seu principal personagem ilustra a necessidade de se redobrar os cuidados dos direitos e deveres dos moradores de residenciais em tempo de isolamento social.
 
De olho nessa nova realidade, os gestores da Habitamais, empresa que administra 35 condomínios em Porto Velho, Ricardo Guedes e Adelino Teles, estão sempre em contato com os síndicos dos residenciais para manter a boa vizinhança durante o período de confinamento.  
 
Segundo Ricardo, as recomendações de combate ao novo coronavírus exigem mais privacidade em nome da saúde de todos.
 
De olho nessa nova realidade, os gestores da Habitamais, empresa que administra 35 condomínios em Porto Velho, Ricardo Guedes e Adelino Teles, estão sempre em contato com os síndicos dos residenciais para manter a boa vizinhança durante o período de confinamento.  
 
Segundo Ricardo, as recomendações de combate ao novo coronavírus exigem mais privacidade em nome da saúde de todos.
 
 
 
Adelino, por sua vez, observa que mesmo no caso dos moradores que buscam tornar um ambiente mais agradável como, por exemplo, tocando um instrumento na varanda pode incomodar alguém involuntariamente.
 
“Precisa – se ter consentimento para qualquer atitude que vai impactar a rotina dos demais moradores”, frisa o gestor condominial, ressaltando que nas unidades residenciais próximas podem ter alguém doente ou até mesmo de luto.
 
 
Como a criançada não está indo à escola, o ideal é que façam também o dever de casa quando a lição for  sobre  a política da boa vizinhança.
 
 
 
 
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS