BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

DESISTIU: Bolsonaro decide demitir Mandetta, mas volta atrás

Ex-ministro da Cidadania Osmar Terra era o mais cotado para assumir o cargo; ala militar defendeu nome de mulher para a Pasta

O Globo

06 de Abril de 2020 às 21:23

Atualizada em : 07 de Abril de 2020 às 09:13

Foto: Divulgação

 
 
 
 
 
BRASÍLIA — O presidente Jair Bolsonaro decidiu demitir nesta segunda-feira o ministro da Saúde, Luiz HenriqueMandetta , em meio à crise do novo coronavírus . O ato oficial de exoneração de Mandetta está sendo preparado nesta tarde no Palácio do Planalto.
 
 
A expectativa era que a decisão fosse publicada em edição extra do Diário Oficial da União após reunião do presidente com todos os ministros, entre eles Mandetta, convocada para as 17h. A informação sobre a exoneração de Mandetta foi confirmada ao GLOBO por dois auxiliares do presidente da República. No entanto, após reunião com o presidente e ter as gavetas limpas no ministério, Mandetta anunciou que fica no cargo.
 
 
 
Em reunião com integrantes do Ministério Público nesta segunda-feira, o ministro da Saúde admitiu a dificuldade que encontra no cenário político e que não sabe "até quando ficará Ministro da Saúde".
Os presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), e do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffolientraram no circuito para tentar impedir a demissão de Mandetta. Alcolumbre ligou para o ministro Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) dizendo que, caso a demissão fosse concretizada, a relação do governo com o Parlamento "ficaria muito difícil".
 
 
 
Já Toffoli, atuou em duas frentes: fez chegar ao Palácio do Planalto que demissão de Mandetta, neste momento, seria muito mal recebida não só pela corte, mas por diversos setores da sociedade; e trabalhou para que o ministro da Saúde também fizesse algum gesto de harmonia em relação ao presidente.
 
 
O deputado federal Osmar Terra (MDB-RS), ex-ministro da Cidadania, era o mais cotado para substituí-lo. Ele almoçou com Bolsonaro e os quatro ministros que despacham do Palácio do Planalto nesta segunda: Walter Braga Netto (Casa Civil), Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Jorge Oliveira (Secretaria-Geral) e Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional).
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS