BOLETIM CORONAVÍRUS - CLIQUE AQUI E FIQUE ATUALIZADO

Governo ampliará crédito para a compra da casa própria

Os subsídios serão bancados com ganhos que o FGTS obtém em aplicações em títulos públicos

Da Redação

06 de Janeiro de 2009 às 15:06

Foto: Divulgação

O governo poderá ampliar em até R$ 900 milhões — de R$ 1,6 bilhão para R$ 2,5 bilhões — o valor dos subsídios dado pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) nos financiamentos à compra da casa própria por famílias com renda mensal de até cinco salários mínimos (R$ 2.075). 

Segundo o Programa Nacional de Habitação, que será lançado neste mês pelo presidente Lula, os subsídios serão bancados com ganhos que o FGTS obtém em aplicações em títulos públicos. 

Atualmente, 50% desses rendimentos se transformam em subsídios. Pelas novas regras, serão 80% das receitas. Esses subsídios serão acrescidos de recursos, a fundo perdido, do Orçamento Geral da União (OGU), cujo valor está sendo definido pelo Ministério da Fazenda.

Os subsídios cobrirão parte dos juros ou mesmo do principal da dívida que as famílias assumirem com a compra da moradia. Pelas simulações realizadas pelo governo, tendo como base dados da Caixa Econômica Federal, com a “carta subsídio” (como está sendo chamado o benefício), é possível que as prestações da casa própria girem em torno de R$ 200 por mês, praticamente o que muita gente gasta com aluguel.

O Ministério das Cidades estima que até 12,5 milhões de famílias poderão ser beneficiadas pelo programa do governo, que, além de agregar esse contigente ao mercado de crédito imobiliário, terá a importante missão de estimular a construção civil, garantir a geração de empregos e contribuir para a meta de crescimento econômico de 4% neste ano.

Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS