DISPUTA: Justiça decide que produtores de soja vão receber R$ 1,3 bi de multinacional

A decisão foi proferida pelo ministro do STF Nunes Marques no dia 13 de fevereiro

DISPUTA: Justiça decide que produtores de soja vão receber R$ 1,3 bi de multinacional

Foto: Divulgação

 

O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou o depósito em juízo de aproximadamente R$ 1,3 bilhão aos produtores de soja do Brasil referentes aos royalties cobrados pela Monsanto, empresa multinacional adquirida pela Bayer, sobre a tecnologia Intacta RR2 PRO, por meio da patente de invenção PI9816295-0. O montante deverá ser devolvido aos produtores a partir de 2018, data de expiração do prazo da patente.
 
A decisão foi proferida pelo ministro do STF Nunes Marques no dia 13 de fevereiro.
 
A decisão refere-se a uma ação judicial movida pela Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) no âmbito da Justiça estadual. A entidade questiona, no processo, a cobrança de royalties sobre a tecnologia Intacta RR2 PRO, sob o argumento de que o parágrafo único do art. 40, da Lei da Propriedade Industrial, que estende o prazo de vigência patentária superior a 20 anos no Brasil seria inconstitucional.
 
JUSTIÇA DETERMINA QUE BAYER DEPOSITE EM JUÍZO R$ 1,3 BI EM ROYALTIES DE SEMENTES
 
Diante do fato, a Aprosoja Mato Grosso solicitou a suspensão da cobrança dos royalties da tecnologia a partir da data de expiração patentária e a devolução de valores cobrados após o prazo de 20 anos.
 
Para o presidente da Aprosoja-MT, Fernando Cadore, “a vitória é fruto de um trabalho intenso da associação, que nunca mediu esforços para defender os direitos do produtor rural e jamais aceitar cobrança de royalties ilegais e indevidos. A conduta adotada pela Bayer acaba por macular a relação, já que a multinacional desconsidera que o produtor rural é quem adquire e paga por tecnologia patenteada”, disse
 
VALOR COBRADO APÓS VENCIMENTO SOMA QUASE R$ 1,3 BI
 
Em maio de 2021, em ação direta de inconstitucionalidade (ADI 5529) proposta pela Procuradoria Geral da República, o STF julgou inconstitucional o parágrafo único do art. 40, da Lei da Propriedade Industrial, estabelecendo que o prazo máximo de vigência patentária no país não pode ultrapassar 20 anos. Referida decisão passou a nortear e vincular todos os processos em que se discutia essa questão.
 
Em agosto de 2022 o Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) concedeu, com base no julgamento do STF, uma liminar em favor dos produtores rurais e determinou a devolução de royalties cobrados pela Monsanto a partir de 2018, data na qual houve a expiração do prazo patentário. Segundo a Bayer, o valor cobrado nesse período referente a essa patente é de aproximadamente R$ 1,3 bilhão.
 
CONFIRA NOTA ENVIADA PELA BAYER SOBRE O CASO:
 
“A Bayer está analisando a recente decisão do Ministro Nunes Marques, que revisa a sua anterior proferida em outubro de 2022, em uma leitura própria do voto do Ministro Relator Dias Toffoli no julgamento da ADI 5529 pelo Plenário do STF em 2021. A empresa determinará seus próximos passos em breve, porém reforça seu compromisso em cumprir as decisões judiciais.
 
Vale destacar que a tecnologia Intacta RR2 PRO®? está protegida por direitos de propriedade intelectual de natureza ampla e diversa, e confiamos que esses direitos nos dão o respaldo jurídico para que o uso da nossa tecnologia protegida seja respeitado no país.
 
A Bayer tem investido intensamente em pesquisa e desenvolvimento para trazer importantes inovações para a continuidade do crescimento da agricultura brasileira. Seguiremos trabalhando para trazer opções para apoiar o produtor rural a superar os desafios apresentados pela agricultura tropical ajudando a consolidar o Brasil como um dos maiores produtores de alimentos do mundo.”
Direito ao esquecimento
Como você classifica os serviços da Energisa?
Como você classifica a gestão do prefeito Hildon Chaves em Porto Velho?

* O resultado da enquete não tem caráter científico, é apenas uma pesquisa de opinião pública!

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

CLASSIFICADOS veja mais

EMPREGOS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

DESTAQUES EMPRESARIAIS

EVENTOS