CACAUICULTURA: Emater distribui mudas para incentivar indígenas à produção de cacau

As mudas, transformadas em clones, vão contribuir para a diversificação de produtos

CACAUICULTURA: Emater distribui mudas para incentivar indígenas à produção de cacau

Foto: Divulgação

 

O incentivo para expansão da cultura cacaueira na região do Território Rio Machado levou extensionistas da Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-RO) do escritório de Cacoal a uma iniciativa inusitada.
 
Em uma articulação em parceria com a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac) de Ouro Preto do Oeste, o Governo de Rondônia, por meio da Emater conseguiu a doação de quatro mil sementes de cacau. As mudas, transformadas em clones, vão contribuir para a diversificação de produtos das comunidades indígenas da região.
 
Com apoio da Emater, comunidades indígenas produzem as próprias mudas de cacau
 
Segundo os extensionistas da Emater, Lilian Barbosa e Jaime Miranda, que articularam a doação, três mil sementes foram repassadas para as comunidades indígenas das aldeias Gakapi e Nabekolabalakiba, ambas localizadas na Linha 12, no município de Cacoal.
 
Os extensionistas propuseram à comunidade produzir as próprias mudas com as sementes de cacau comum que receberam e, posteriormente, fazer a poda para produção de clones de cacau melhorado, incentivando assim, a ampliação da lavoura cacaueira na região.
 
O Governo de Rondônia, por intermédio das políticas públicas de desenvolvimento rural promovidas pela Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) e executada pela Emater, já vem incentivando o fortalecimento do cultivo do cacau em todo o Estado, com investimentos em manejo e melhoria do produto.
 
O preço do produto em alta e a boa produtividade e qualidade de amêndoas que têm chegado ao campo, também tem contribuído para o interesse dos produtores rurais que buscam na cultura, uma alternativa para incrementar a renda.
 
As sementes serão importantes na incrementação da atividade agrícola local
 
Outro incentivo foi o recente lançamento do 1º Concurso de Qualidade e Sustentabilidade do Cacau de Rondônia, a ser realizado pela Seagri, Emater e Ceplac em parceria com a Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril (Idaron), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de Rondônia (Sebrae), Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar), Câmara Setorial do Cacau de Rondônia, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e Sociedade Brasileira de Ciência do Solo (Sbcs), por meio do Núcleo Regional Noroeste.
 
As sementes distribuídas nas comunidades indígenas serão importantes para incrementação da atividade agrícola local, pois são aldeias que se encontram em fase de regularização. “A aldeia Gakapi ainda não possui energia elétrica”, diz a extensionista Camilla Fabiane, do escritório da Emater de Cacoal.
 
A extensionista Lilian explica que, quando chegou em Cacoal, cinco das famílias que cadastrou eram daquela comunidade e, desde então, a Emater vem prestando assistência técnica e orientando os indígenas na condução e manejo de diversas culturas.
 
Com a distribuição de sementes, devem ser plantados, em média, 3,5 hectares de cacau, que além de ser uma cultura que contribui para o reflorestamento, principalmente em áreas em degradação, será uma alternativa de renda para as famílias que vivem nas duas aldeias.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS