CRESCIMENTO: Incentivos do Governo triplicam produtividade leiteira em RO

O programa “Leite a pasto” consiste na produção direta de silagem para alimentar o gado no período da seca amazônica, Já o “Inseminar”, permite que o produtor melhore a capacidade genética do rebanho

CRESCIMENTO: Incentivos do Governo triplicam produtividade leiteira em RO

Foto: Divulgação

Dos 200 litros de leite ordenhados ao dia, a produção no sítio Cardoso saltou para 600 litros em duas ordenhas mecânicas diárias. O crescimento produtivo está diretamente ligado ao apoio do Governo de Rondônia com os programas “Leite a pasto” e “Inseminar”, administrados pela Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) em parceria com a Entidade Autárquica de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-RO), com recurso do Programa de Desenvolvimento da Pecuária Leiteira do Estado de Rondônia (Proleite).
 
 
Localizado a 12 km do distrito de Novo Riachuelo, em Presidente Médici, o produtor rural Gedecias Cardoso de Lima, aderiu aos dois programas governamentais com o objetivo de produzir mais com menor esforço. “As vacas produziam pouco leite. Fui buscar ajuda na Emater-RO e fui bem recepcionado na implantação de dois programas que estão dando certo”, conta o produtor.
 
 
O programa “Leite a pasto” consiste na produção direta de silagem para alimentar o gado no período da seca amazônica. Já o “Inseminar”, permite que o produtor melhore a capacidade genética do rebanho. “São programas que estão me permitindo avançar na produção leiteira. Com isso, nossa meta é reduzir o plantel (grupo de animais) e aumentar a produção”, explica o produtor, afirmando que a crise sanitária mundial só o motiva a produzir alimento.
 
 
A primeira experiência dele em produzir a própria silagem ocupa um alqueire, mas já está nos planos do produtor ampliar, ainda este ano, em três vezes à área plantada de milho. “Em média, o plantio vai render 34 toneladas. O objetivo para o próximo ano é melhorar tecnicamente a área a ser cultivada e ampliar a produção para 42 toneladas por hectare”, anuncia o extensionista da Emater-RO, Lincon Fernandes da Costa.
 
 
As orientações ao produtor sobre o plantio do milho e o respectivo manejo da silagem é do extensionista rural de Novo Riachuelo, Fagner Cabral. “Quando o produtor acata nossas orientações os resultados são sempre positivos”, afirmou.
 
 
Gedecias disse que dispõe de estrutura para aumentar a produtividade. “Temos ordenhas mecânicas, resfriamento de leite, currais preparados, alimentação adequada e ambiente higienizado”. O produtor não dispõe de todo o maquinário para desempenhar as atividades, mas conta com o apoio da Emater-RO, prefeitura de Presidente Médici e vizinhos.
 
 
“É uma soma de união de esforços. O Governo oferece as orientações técnicas dos programas e à elaboração de projetos de financiamentos. O objetivo é ajudar o produtor a alavancar o empreendimento rural”, pontua o gerente da Emater em Novo Riachuelo, Erik Epitácio Paião Dutra.
 
 
FIXAÇÃO DO HOMEM NO CAMPO
 
 
O filho do produtor Gedecias, Élcio Pereira de Lima, retornou às origens após experimentar sete anos em atividade entre a área rural e urbana. Ele deixou o sítio do pai e ingressou no mercado de transporte leiteiro. Com essa experiência ele diz ter compreendido melhor a importância de zelar e investir no próprio negócio.
 
 
“Quem é do campo deve procurar alternativas no campo, pois há muita oportunidade de negócio que são lucrativos. De cada 50 propriedades em que eu entrava para recolher leite, apenas uma aderiu a estruturas tecnológicas melhorando os ganhos”, observou o filho.
 
 
O novo modelo de gestão aliado à tecnologia que vem sendo implantado no sítio de Gedecias, segundo Élio de Lima, “é o caminho para o sucesso”. No planejamento dele, dentro dos próximos três anos a meta é saltar dos atuais 600 litros/dia para 3 mil litros de leite todos os dias.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS