AGRONEGÓCIO: Exportações de alimentos em Rondônia mantêm-se estáveis em 2020

No ano passado, Rondônia ocupou o 16º lugar no ranking dos estados exportadores do Brasil, tendo 0,6% de participação e arrecadando US$ 1.303,9 milhões

AGRONEGÓCIO: Exportações de alimentos em Rondônia mantêm-se estáveis em 2020

Foto: Divulgação

Mesmo com a pandemia do coronavírus (Covid-19), as exportações em Rondônia mantiveram-se estáveis, se comparado com os resultados de 2019. Atualmente, a carne bovina, a soja, a madeira, o ouro e o estanho são os principais produtos de exportação no Estado. No ano passado, Rondônia ocupou o 16º lugar no ranking dos estados exportadores do Brasil, tendo 0,6% de participação e arrecadando US$ 1.303,9 milhões.
 
Conforme mostram os dados apurados pela equipe de Agrodados da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri), as principais exportações de Rondônia em 2020 foram: carne bovina fresca, refrigerada ou congelada ($624 milhões), soja ($421 milhões), madeira ($48,3 milhões), carnes e miudezas comestíveis, frescas, refrigeradas ou congeladas ($30,9 milhões), matérias brutas de animais ($28,9 milhões), produtos de indústria de transformação ($28,2 milhões) e estanho ($13,4 milhões).
 
Já em 2019 foram: bovinos desossados, congelados (US$461 milhões), soja, diferente de sementes (US$386 milhões), bovinos desossados, frescos ou resfriados (US$131 milhões), estanho não ligado em formas brutas (US$45,6 milhões) e ouro, formas semimanufaturadas, não monetárias (US$36,6 milhões), com destinos principais de exportação para Hong Kong (US$180 milhões), Egito (US$129 milhões), Chile (US$124 milhões), Holanda (US$107 milhões) e China (US$104 milhões).
 
De acordo com o economista da Seagri, Alex Rilie, a balança comercial de Rondônia, fechou com um superávit de US$ 330,5 milhões, em 2019, indicando que houve mais exportações do que importações. Hong Kong, Egito, Chile, Países Baixos (Holanda), China, Espanha e Turquia são os principais parceiros comerciais de Rondônia.
 
“Em 2020, foram exportados para os Países Baixos (17%), desembarcaram em Hong Kong (13%), ficando em primeiro lugar no ranking, seguido da China (11%), Espanha (71%), Egito (7,1%) e Chile (6,2%). Nos cinco primeiros meses deste ano, foram arrecadados US$ 673,9 milhões, houve 0,8% de participação nas vendas e o superávit permaneceu”, disse Alex.
 
Segundo o secretário da Seagri, Evandro Padovani, em 2019, o Estado aumentou o volume de exportações de gado.
 
“Rondônia possui atualmente um rebanho de bovinos e bubalinos de 13.972.394 cabeças, distribuídos por 5.860.878 hectares. Nos últimos anos, a pecuária rondoniense avançou significativamente, a qual reflete nos dias atuais”, explicou.
 
A carne bovina fresca, refrigerada ou congelada teve 46% de participação, arrecadando US$ FOB (“free on board, ou “livre a bordo”) 594 milhões e continuou liderando nos cinco primeiros meses de 2020, mas com uma baixa de 0,2% de participação; até o momento, foram arrecadados US$ FOB 297 milhões.
 
O potencial agrícola de Rondônia, quando falamos em soja, é surpreendente. Atualmente, houve um crescimento nas exportações, chegando em 42% de participação e totalizando US$ FOB 285 milhões.
 
Nos cinco primeiros meses deste ano, foram arrecadados US$ 673,9 milhões, houve 0,8% de participação nas vendas e o superávit permaneceu
 
Em números, o saldo, no ano passado, foi de US$ FOB 386 milhões, o que deixa em 30% de participação. “A soja é um dos principais produtos exportados pelo Brasil e Rondônia se enquadra nessa balança. É a principal cultura que movimenta a economia do Estado, representando 13% do Valor Bruto da Produção (VBP). A área de produção cresce em torno de 20% por ano e poderá chegar a um milhão de hectares nos próximos cinco anos”, contou Padovani.
 
No ano passado, a madeira, parcialmente trabalhada e dormentes de madeira tiveram 4,7% de participação, resultando em US$ FOB 61,7 milhões. Neste ano, houve uma queda nos números do produto, que passaram a ter 3,3% de participação e, até o momento, US$ FOB 22,3 milhões. Em maio de 2020, fiscais ambientais iniciaram a Operação Verde Brasil 2, investigando uma possível extração irregular de madeira no território rondoniense.
 
O ouro, não monetário (excluindo minérios de ouro e seus concentrados) teve uma baixa abundante, saindo de 4,6% de participação e US$ FOB 59,5 milhões, para 1,5% e US$ FOB 10,3 milhões.
 
Por fim, quando o valor acumulado pela exportação do estanho era de US$ 45,6 milhões, tendo 3,5% de participação em 2019, teve uma grande queda neste ano de 2020, saindo da posição de destaque no ranking.
 
“Os dados nos mostram que Rondônia é uma potência econômica e alcançará patamares ainda mais altos nos próximos anos”, informou o economista Alex.
 
No geral, além dos cinco principais produtos exportados, encontramos matéria bruta de animais, demais produtos da indústria da transformação, entre outros.
Direito ao esquecimento

MAIS NOTÍCIAS

Por Editoria

PRIMEIRA PÁGINA

ROVIVO TV

DESTAQUES EMPRESARIAIS

PUBLICAÇÕES LEGAIS

COLUNAS